Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Espetáculo PROT{AGÔ}NISTAS celebra vidas negras no Rio de Janeiro

Apresentação terá curta temporada entre os dias 14 e 16 de abril, no Circo Crescer e Viver, no Centro da capital fluminense

Imagem: Divulgação

Foto: Imagem: Divulgação

11 de abril de 2023

Celebração à vida, sonoridade contemporânea, discurso do empoderamento, aquilombamento, estética afrofuturista e variadas coreografias. Todos estes elementos estão presentes no espetáculo circense PROT{AGÔ}NISTAS – O Movimento Negro no Picadeiro, que chega à cidade do Rio de Janeiro para três apresentações, nos dias 14, 15 e 16 de abril, no Circo Crescer e Viver. 

Nesta sexta-feira (14), durante a apresentação de estreia, haverá acessibilidade com Intérprete de LIBRAS e Audiodescrição. Além disso, haverá o bate-papo “Estou Aqui – O lugar ocupado pelo artista negro e sua representatividade na cena cultural nacional”, que contará com a participação de Thallita Xavier, integrante da Cia Mala de Mão, às 11h, com entrada gratuita.

O elenco é formado por artistas negros com todas as variantes do colorismo, com presença LGBTQIA+ e feminina na cena e na liderança técnica. Uma equipe de  maioria oriunda das periferias paulistas.

Sob direção de Ricardo Rodrigues, que entrega a  cada protagonista o cuidado com o gesto para dar a delicadeza e força da narrativa por meio de aparelhos circenses que ganham novos significados. 

A peça traz para a plateia, um panorama da produção cultural preta em diáspora.

“O título [PROT{AGÔ}NISTAS] é trazido no plural porque cada interprete que aparece em cena na música, na expressão do circo ou na dança, têm o seu momento de protagonismo. Intencionalmente  a palavra {agô} está colocada entre chaves, não colcheias, não parentes, porque as chaves simbolizam a abertura de portas”, explica Ricardo.

As músicas autorais, que aparecem em cena, foram compostas pela própria banda e arranjadas para o espetáculo com a maestria de Tô Bernardo e a organização de Renato Ribeiro. “A gente fala de dor, a gente fala da solidão da pessoa preta, a gente fala do nosso cabelo e a gente traz esse corpo de baile para contrapor na estética e no movimento ao chamado circo tradicional e vai muito além de auxiliar nas transições técnicas de cena”, pontua o diretor. 

A cantora e coordenadora de comunicação Mariana Per acrescenta que o Gumboot Dance é uma dança que apenas dois grupos realizam no país. “Não tem nenhum outro grupo negro que faça esse tipo de dança, isso é um resgate direto de África, envolvida por esse corpo negro”.

Ao todo, um grupo de 25 artistas negros formam elenco e equipe técnica. A peça ainda traz números de palhaçaria, tecido, trapézio, contorcionismo, perna de pau e dança acompanhada por músicas autorais. Ainda há espaço para humor e poesia, com o intuito de mostrar à plateia um futuro que é carregado de ancestralidade. 

O espetáculo conta com patrocínio exclusivo da Unilever, e estreou no Festival Internacional do Circo da Cidade de São Paulo (FIC) e na mostra Novos Modernistas, do Theatro Municipal de São Paulo, em 2019. Também foi apresentado durante a programação oficial do Festival Internacional de Teatro, Palco e Rua de Belo Horizonte (FIT BH) e no Centro Cultural São Paulo, em 2022.

SERVIÇO

Espetáculo: PROT{AGÔ}NISTAS – O Movimento Negro no Picadeiro
Local: Circo Crescer e Viver
Rua Carmo Neto, 143, Cidade Nova, Centro do Rio de Janeiro
Próximo à Estação Cidade Nova do Metrô Linha 2
Dias: 14, 15 e 16 de abril de 2023
Sexta e sábado, às 19h, e domingo, às 18h.
Ingressos: R$15 (inteira) e R$ 7,50 (meia)
Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria ou antecipadamente neste link.

Bate Papo: “Estou Aqui – O lugar ocupado pelo artista negro e sua representatividade na cena cultural nacional”, com Thallita Xavier, da Cia Mala de Mão-RJ
Local: Circo Crescer e Viver
Rua Carmo Neto, 143, Cidade Nova, Centro do Rio de Janeiro
Próximo à Estação Cidade Nova do Metrô Linha 2
Dia: 14 de abril (sexta), às 11h
Ingressos: Entrada gratuita

Este projeto tem o patrocínio master de Unilever.
Realização: Solas de Vento e Coletivo Prot{agô}nistas.
Viabilizado pela Lei de Incentivo à Cultura por meio do Ministério da Cultura e Governo Federal União e Reconstrução.

Leia também: Mestre Lumumba, um patrimônio imaterial da cultura negra no Brasil

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 152

EP 151

Cotidiano