Pesquisar
Close this search box.

Gumboot Dance Brasil apresenta espetáculo no Sesc Belenzinho

23 de agosto de 2018

A dança popular foi criada pelos trabalhadores das minas de carvão, ouro e diamantes da África do Sul, no século XIX

Texto / Divulgação
Foto / Kelson Barros

O Sesc Belenzinho apresenta o espetáculo Yebo com o grupo Gumboot Dance Brasil no dia 24 de agosto, sexta, às 20h. No mesmo dia, às 19h, acontece uma vivencia com integrantes da companhia, a qual consiste numa experimentação de percussão corporal. As atividades, que integram o Encontro de Práticas Corporais – Abra-se, são grátis.

Gumboot – dirigido por Rubens Oliveira – é uma dança popular com botas de borracha, criada pelos trabalhadores das minas de carvão, ouro e diamantes da África do Sul, no século XIX. Trabalhando em regime praticamente de escravidão, os nativos sul-africanos foram contratados para trabalhar nas minas em péssimas condições de existência, impossibilitados sequer de falarem entre si.

Yebo é o segundo espetáculo do Gumboot Dance Brasil. Aborda a exploração, tanto das minas como dos sete povos levados para extração de minério, a criação de um dialeto sonoro a partir das batidas nas botas de borracha, a espera das mulheres por seus maridos mineiros durante a temporada de exploração das minas.

A batida das botas de borracha no chão das minas foi uma linguagem criada para a comunicação, já que pessoas de diversas etnias viviam confinadas. A cadência das botas e seus movimentos aos poucos evoluíram para uma dança. Segundo Rubens Oliveira, havia diversas simbologias que simplificavam essa comunicação como a saudade da família, o trem que os conduzia às minas e a própria iniciativa de se divertir por mais que estivessem em condições insalubres de trabalho. “A coerência de sons e ritmo foram amadurecendo e aos poucos transformaram a ‘comunicação das botas’ em dança”, explica o bailarino.

Com o espetáculo o grupo faz uma reflexão sobre as semelhanças entre um homem da África do Sul recrutado para trabalhar numa mina de ouro – numa situação que se assemelha ao trabalho escravo (embora legalmente não o seja) – com um homem brasileiro que sobe na carroceria de um caminhão com uma promessa de trabalhon que é só uma esperança. Yebo reflete esse desejo de construir uma vida melhor, de se aventurar numa oferta ‘milagrosa’ capaz de mantê-los vivo e dar sustento aos seus.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano