Pesquisar
Close this search box.

Lançamento do livro “Mulheres de Palavra” acontece nas periferias de São Paulo

4 de maio de 2016

Texto: Pedro Borges / Foto: Divulgação / Edição de Imagem: Pedro Borges

 Obra incentiva a reflexão sobre o espaço da mulher no hip hop

O lançamento da publicação “Mulheres de Palavra” ocorre no mês de maio, na Fábrica de Cultura de diferentes bairros da periferia de São Paulo. No dia 7, a atividade acontece na Vila Nova Cachoeirinha e no Jaçanã. Na semana seguinte, 14, a apresentação ocorre nos bairros da Vila Brasilândia e Jd. São Luis. O encerramento do ciclo está marcado para o dia 28, no Capão Redondo. Todas as rodas de conversa começam às 14h e terminam às 16h.

O principal tema abordado no livro é a dificuldade que as mulheres enfrentam no Hip Hop e no cotidiano. Dory de Oliveira, cantora e compositora, participa da “Mulheres de Palavra” e relata o espaço dado a elas nos shows de rap. “Cada uma tem as suas dificuldades pessoais. A primeira que eu vejo é o machismo, o sexismo escrachado que existe. Às vezes a gente vai num show e dez grupos são de homens e um é de mulher. Isso quando tem mulher para cantar”.

PretaRara2 (SamuelMalbon_MulheresDePalavra)A obra traz a narrativa de 10 rappers do estado de São Paulo que contam a dificuldade de participar de um meio masculino como o Hip Hop. A publicação apresenta também as barreiras cotidianas enfrentadas pelas cantoras, tanto no ambiente familiar quanto no convívio social.

Preta Rara, cantora e compositora, também participa da obra e exalta a importância dela ser divulgada nas periferias de São Paulo. “Outras mulheres acabam percebendo que as mesmas dificuldades e alegrias, às vezes, são parecidas com a das meninas que participaram do livro. Então é bom para divulgar e incentivar a cultura, para que elas possam ser donas da sua própria história, ser protagonistas do seu momento. Acho que essa é a importância, mostrar que é possível e que elas não estão sozinhas”.

A maior parte do grupo é composta por mulheres pretas e periféricas. A ancestralidade, o histórico de resistência da população negra e a relação com o universo das periferias urbanas são outros aspectos de destaque no livro.

Para Preta Rara, o protagonismo e a necessidade da mulher negra contar a sua história tornam a publicação “Mulheres de Palavra” fundamental. “Por isso que eu resolvi participar desse projeto, porque geralmente em vários que eu participo, eu sou sempre objeto de pesquisa, e sempre quem está me pesquisando tem um olhar diferente por não saber o que eu faço. Nesse projeto não, quem entrevista, quem filma, quem grava, quem corre atrás, quem fala, são todas mulheres negras. Quando eu falo sobre opressão, sobre infância, elas se identificam porque elas passaram por isso também”.

DoryDeOliveira2 (RicardoDutra_MulheresDePalavra)A publicação foi idealizada pelas pesquisadoras Fernanda Allucci, Ketty Valencio e Renata R. Allucci, com registro audiovisual de Ricardo Dutra e Samuel Malbon e textos de quatro autoras convidadas, Daniela Gomes, Izabela Nalio Ramos, Nerie Bento, Roberta Estrela D’Alva e será distribuída de maneira gratuita nos principais equipamentos culturais de São Paulo. O projeto foi realizado com o apoio do governo do Estado de São Paulo e da Secretaria de Estado da Cultura, por meio do PROAC Editais.

Confira a entrevista completa com Dory Oliveira:


Serviço: 
Dia 07.05 – Lançamento da Publicação nas Fábricas de Cultura Vila Nova Cachoeirinha e Jaçana
Horário: 14h às 16h
Gratuito
Dia 14.05 – Lançamento da publicação nas Fábricas de Cultura Brasilândia e Jd. São Luis
Horário: 14h às 16h
Gratuito.
Dia 28.05 – Lançamento da publicação na Fábrica de Cultura Capão Redondo
Horário: 14h às 16h
Gratuito.

Contato:
Black Indie Assessora de Imprensa.
Assessora de Imprensa: Nerie Bento.
e-mail: [email protected]

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano