Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Operação resgata mais de 500 trabalhadores em condições análogas à escravidão

A ação conjunta contou com 70 equipes de fiscalização que participaram de 222 inspeções em 22 estados e no Distrito Federal; Minas Gerais lidera a lista, com 204  resgates

Texto: Giovanne Ramos | Imagem: Ministério Público do Trabalho

A imagem mostra um homem usando chapéu e roupa marrom, trabalhando no campo. Em sua volta há plantações. Esse é um exemplo de trabalhos análogos a escravidão.

21 de setembro de 2023

Durante agosto de 2023, a Operação Resgate III retirou 532 trabalhadores de condições de trabalho escravo contemporâneo. Mais de 70 equipes de fiscalização integraram 222 inspeções em 22 estados e no Distrito Federal.

Essa é a maior ação conjunta de combate ao trabalho escravo e tráfico de pessoas no Brasil, resultado da união entre seis instituições: Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), Ministério Público do Trabalho (MPT), Ministério Público Federal (MPF), Defensoria Pública da União (DPU), Polícia Federal (PF) e Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Os estados com mais pessoas resgatadas foram Minas Gerais (204), Goiás (126), São Paulo (54), Piauí (42) e Maranhão (42). Houve resgates em 15 estados: AC, BA, ES, GO, MA, MG, MT, PE, PI, PR, RO, RS, e TO. Entre as atividades com maior número de vítimas na área rural estão o cultivo de café (98), cultivo de alho (97) e cultivo de batata e cebola (84). Na área urbana, houve resgates em restaurantes (17), oficina de costura (13), construção civil (10) e trabalho doméstico (10).

Entre os dez trabalhadores domésticos resgatados, havia três homens e sete mulheres, entre elas uma idosa de 90 anos que trabalhou 16 anos sem carteira assinada. Essa é a pessoa mais idosa já resgatada de trabalho escravo no Brasil. As equipes também flagraram 26 crianças e adolescentes submetidos a trabalho infantil, das quais seis estavam sob condições semelhantes à escravidão.

A Operação Resgate III resgatou 74 pessoas que também foram vítimas de tráfico de pessoas. As fiscalizações ocorreram nos seguintes estados: AC, AM, BA, CE, DF, ES, GO, MA, MG, MT, MS, PA, PB, PE, PI, PR, RJ, RO, RR, RS, SC, SP e TO.

Os trabalhadores já foram ressarcidos com, aproximadamente, R$ 3 milhões em verbas rescisórias e cerca de R$ 2 milhões em danos morais coletivos. Esse não é o valor final, visto que muitos pagamentos ainda estão em processo de negociação com os empregadores ou serão judicializados.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano