Pesquisar
Close this search box.

Evento para igualdade racial no mercado de trabalho tem patrocínio principal do Carrefour

Segundo organizadores do evento, sem os recursos da rede de supermercados a construção do evento ficaria inviável; Carrefour foi responsável pela morte de João Alberto Freitas, em novembro de 2020
Fachada de unidade do supermercado Carrefour.

Foto: Divulgação

4 de outubro de 2023

O Fórum Sim à Igualdade Racial, encontro com o objetivo de estimular a contratação de pessoas negras por parte das empresas, acontece no dia 5 de outubro, no Memorial da América Latina, em São Paulo. O encontro tem como principal patrocinador o Carrefour, grupo no qual funcionários terceirizados agrediram até a morte João Alberto Freitas, em Porto Alegre, há quase três anos.

O encontro tem como característica a aproximação de grandes marcas como forma de ofertar oportunidades para jovens negros, que têm a possibilidade de acompanhar palestras de referências dentro do mercado e construir networking para conseguir uma chance em uma grande empresa.

Informações apuradas pela Alma Preta com a organização do evento mostram que o patrocínio da rede de supermercados foi fundamental para a realização do encontro. Sem os valores investidos, o déficit orçamentário seria grande. O Instituto Identidades do Brasil (ID_BR) não tem nenhum financiamento internacional e tem como meta educar através de consultorias e conseguir se manter dessa maneira a partir da captação de recursos com empresas. Para o grupo, há uma barreira no acesso a recursos para projetos organizados por pessoas negras.

Nas redes sociais, o ID_BR, responsável pela campanha Sim à Igualdade Racial e pelo Fórum Sim à Igualdade Racial, recebeu críticas sobre o histórico do Carrefour. Depois da morte de João Alberto Freitas, o supermercado multinacional teve outros casos de violência dentro das lojas espalhadas pelo Brasil, com destaque para Salvador, onde um casal foi humilhado por seguranças.

O Carrefour também firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em junho de 2021, como forma de responder à sociedade sobre a morte de João Alberto sem ser responsabilizado judicialmente. O acordo prevê o investimento de R$ 115 milhões para campanhas de apoio ao empreendedorismo negro, à entrada de jovens negros nas universidades com bolsas de estudo, entre outras medidas.

A rede de supermercados, contudo, descumpriu a promessa, contratou companhias de segurança privada e firmou novo contrato com a antiga Vector, empresa cujos seguranças espancaram João Alberto até agora. A empresa até mudou de nome e passou a se chamar Cordialle.

O outro lado

Em nota, o ID_BR afirmou ser uma empresa “100% comprometida com a aceleração da promoção da igualdade racial” e destacou números alcançados, como a facilitação do acesso ao emprego para cerca de 700 mil colaboradores de grandes empresas. O grupo também disse entender que, em um cenário de racismo estrutural, todas as empresas “precisam investir em educação antirracista visando mudar suas culturas e criando ações internas e externas para apoiar o desenvolvimento de pessoas negras e indígenas”.

A instituição destacou a importância de grupos e instituições como o ID_BR para cobrar esses investimentos e ressaltou a necessidade de mudar o histórico das empresas de baixo investimento na pauta antirracista. “Cobrar e receber investimentos para enrobustecer a agenda antirracista é um direito da sociedade civil. E ação crucial para que esta agenda tenha a sustentabilidade, perenidade e impacto que a pauta em sua complexidade de desdobramentos e infraestrutura demandam”.

A parceria entre a organização e o Carrefour existe desde novembro de 2021 e essa é a primeira vez que a rede de supermercados apoia o Fórum Sim à Igualdade Racial, encontro mantido por patrocínios. Em 2023, mais de 400 empresas foram convidadas a participar, com dez comprometidas como patrocinadoras e três como apoiadoras oficiais.

“O ID_BR segue comprometido na promoção da igualdade racial no Brasil com o objetivo de mudar culturas corporativas, engajar pessoas de diferentes raças e estimular diferentes partes da sociedade com diálogo, transparência, efetividade e responsabilidade social”.

Carrefour diz que valor investido no patrocínio não faz parte do TAC de 2021

O Carrefour, por sua vez, afirmou que o valor investido não faz parte do montante previsto pelo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado em 2021, e que a quantia é fruto do compromisso da companhia com a agenda.

“Temos um compromisso consistente com a equidade racial e com o combate ao racismo, que se materializa em ações concretas com impacto na sociedade. Este compromisso vai além do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e contempla iniciativas relacionadas à educação, empreendedorismo e empregabilidade, além do apoio às instituições que lideram a luta no combate ao racismo”.

  • Pedro Borges

    Pedro Borges é cofundador, editor-chefe da Alma Preta. Formado pela UNESP, Pedro Borges compôs a equipe do Profissão Repórter e é co-autor do livro "AI-5 50 ANOS - Ainda não terminou de acabar", vencedor do Prêmio Jabuti em 2020 na categoria Artes.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos