Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Evento para igualdade racial no mercado de trabalho tem patrocínio principal do Carrefour

Segundo organizadores do evento, sem os recursos da rede de supermercados a construção do evento ficaria inviável; Carrefour foi responsável pela morte de João Alberto Freitas, em novembro de 2020
Fachada de unidade do supermercado Carrefour.

Foto: Divulgação

4 de outubro de 2023

O Fórum Sim à Igualdade Racial, encontro com o objetivo de estimular a contratação de pessoas negras por parte das empresas, acontece no dia 5 de outubro, no Memorial da América Latina, em São Paulo. O encontro tem como principal patrocinador o Carrefour, grupo no qual funcionários terceirizados agrediram até a morte João Alberto Freitas, em Porto Alegre, há quase três anos.

O encontro tem como característica a aproximação de grandes marcas como forma de ofertar oportunidades para jovens negros, que têm a possibilidade de acompanhar palestras de referências dentro do mercado e construir networking para conseguir uma chance em uma grande empresa.

Informações apuradas pela Alma Preta com a organização do evento mostram que o patrocínio da rede de supermercados foi fundamental para a realização do encontro. Sem os valores investidos, o déficit orçamentário seria grande. O Instituto Identidades do Brasil (ID_BR) não tem nenhum financiamento internacional e tem como meta educar através de consultorias e conseguir se manter dessa maneira a partir da captação de recursos com empresas. Para o grupo, há uma barreira no acesso a recursos para projetos organizados por pessoas negras.

Nas redes sociais, o ID_BR, responsável pela campanha Sim à Igualdade Racial e pelo Fórum Sim à Igualdade Racial, recebeu críticas sobre o histórico do Carrefour. Depois da morte de João Alberto Freitas, o supermercado multinacional teve outros casos de violência dentro das lojas espalhadas pelo Brasil, com destaque para Salvador, onde um casal foi humilhado por seguranças.

O Carrefour também firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), em junho de 2021, como forma de responder à sociedade sobre a morte de João Alberto sem ser responsabilizado judicialmente. O acordo prevê o investimento de R$ 115 milhões para campanhas de apoio ao empreendedorismo negro, à entrada de jovens negros nas universidades com bolsas de estudo, entre outras medidas.

A rede de supermercados, contudo, descumpriu a promessa, contratou companhias de segurança privada e firmou novo contrato com a antiga Vector, empresa cujos seguranças espancaram João Alberto até agora. A empresa até mudou de nome e passou a se chamar Cordialle.

O outro lado

Em nota, o ID_BR afirmou ser uma empresa “100% comprometida com a aceleração da promoção da igualdade racial” e destacou números alcançados, como a facilitação do acesso ao emprego para cerca de 700 mil colaboradores de grandes empresas. O grupo também disse entender que, em um cenário de racismo estrutural, todas as empresas “precisam investir em educação antirracista visando mudar suas culturas e criando ações internas e externas para apoiar o desenvolvimento de pessoas negras e indígenas”.

A instituição destacou a importância de grupos e instituições como o ID_BR para cobrar esses investimentos e ressaltou a necessidade de mudar o histórico das empresas de baixo investimento na pauta antirracista. “Cobrar e receber investimentos para enrobustecer a agenda antirracista é um direito da sociedade civil. E ação crucial para que esta agenda tenha a sustentabilidade, perenidade e impacto que a pauta em sua complexidade de desdobramentos e infraestrutura demandam”.

A parceria entre a organização e o Carrefour existe desde novembro de 2021 e essa é a primeira vez que a rede de supermercados apoia o Fórum Sim à Igualdade Racial, encontro mantido por patrocínios. Em 2023, mais de 400 empresas foram convidadas a participar, com dez comprometidas como patrocinadoras e três como apoiadoras oficiais.

“O ID_BR segue comprometido na promoção da igualdade racial no Brasil com o objetivo de mudar culturas corporativas, engajar pessoas de diferentes raças e estimular diferentes partes da sociedade com diálogo, transparência, efetividade e responsabilidade social”.

Carrefour diz que valor investido no patrocínio não faz parte do TAC de 2021

O Carrefour, por sua vez, afirmou que o valor investido não faz parte do montante previsto pelo Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado em 2021, e que a quantia é fruto do compromisso da companhia com a agenda.

“Temos um compromisso consistente com a equidade racial e com o combate ao racismo, que se materializa em ações concretas com impacto na sociedade. Este compromisso vai além do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) e contempla iniciativas relacionadas à educação, empreendedorismo e empregabilidade, além do apoio às instituições que lideram a luta no combate ao racismo”.

  • Pedro Borges

    Pedro Borges é cofundador, editor-chefe da Alma Preta. Formado pela UNESP, Pedro Borges compôs a equipe do Profissão Repórter e é co-autor do livro "AI-5 50 ANOS - Ainda não terminou de acabar", vencedor do Prêmio Jabuti em 2020 na categoria Artes.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 152

EP 151

Cotidiano