Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Manda Notícias: iniciativa busca difundir informação na periferia de SP

“Se você conhece bem o seu público, você consegue pensar em estratégias que alcancem esse público”, pontua Gisele Alexandre, idealizadora do projeto no Capão Redondo

Imagem mostra uma mão negra segurando um celular.

Foto: Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

4 de agosto de 2022

Transmitir informações de qualidade sobre a pandemia de Covid-19 para pessoas periféricas e desmentir as tantas notícias falsas disseminadas por correntes de WhatsApp a respeito do coronavírus. É assim que nasceu o podcast Manda Notícias voltado aos moradores do Capão Redondo, na zona sul de São Paulo.

Idealizado pela jornalista e mãe solo Gisele Alexandre – que também faz parte da Rede de Jornalistas das Periferias – a ideia do projeto surgiu no início da pandemia, durante uma conversa com outros comunicadores dispostos a realizar uma mobilização nacional em todas as periferias brasileiras para informar esse público de maneira eficiente.

“Reunimos mais de 100 comunicadores do Brasil todo para pensar estratégias, formatos, tecnologias para levar informações de qualidade para os moradores que estavam precisando mais naquele momento, que eram os moradores de periferias”, comenta a comunicadora.

Informações rápidas e acessíveis

“Com o Manda Notícias, eu entendi que precisava chegar nos moradores de maneira eficiente, de modo que atingisse esse público a partir de um formato que desse força e credibilidade àquela informação que eu pretendia levar”, destaca Gisele.

A partir desse pensamento, a jornalista conta que passou a elaborar pílulas de informações – ou zapcast, . A ideia era traduzir as notícias para uma linguagem simples, voltada a facilitar a compreensão dos moradores da região.

“Eram aúdios de no máximo cinco minutos, com informações bem apuradas, que mostravam que aquele conteúdo tinha passado por um trabalho não só jornalístico, mas de edição”, conta.

Gisele pontua que no início tinha medo de as pessoas acharem que os aúdios faziam parte de mais uma notícia circulada sem responsabilidade. “Eu queria deixar bem claro que aquele conteúdo foi pensado para circular daquela maneira”, completa.

A primeira temporada do Manda Notícias – que durou de março a dezembro de 2020 – contou com 85 episódios em áudio, produzidos inteiramente por Gisele Alexandre e apoiados pelos demais comunicadores da Rede de Jornalistas das Periferias, mas sem suporte financeiro.

Relacionamento, apoio e mudanças

“Eu me sentia muito cansada de ouvir tantas notícias ruins e ainda conciliar a gravação, edição e envio dos episódios do Manda Notícias com as tarefas de casa. Chegava até mim os nomes de pessoas que faleceram em decorrência da Covid-19, e a população começou a se relacionar comigo no WhatsApp”, relembra a jornalista.

No segundo ano, o Manda Notícias conseguiu apoio financeiro de duas instituições por um período, o que possibilitou que Gisele Alexandre formasse uma equipe para pensar no conteúdo de maneira mais estratégica.

“Isso sempre partindo da premissa de enviar as notícias via WhatsApp, para que a informação chegasse ao morador da periferia. O conteúdo do Manda Notícias está nas principais plataformas de áudio, mas o meu grande objetivo é e sempre foi levar as notícias pelo WhatsApp”, diz.

Gisele pontua que a lista de tranmissão cresceu consideravelmente – de 100 contatos para aproximadamente 1 mil pessoas, todos de forma orgânica. Com o passar do tempo, a jornalista expandiu o foco das notícias, abordando outros temas importantes para as pessoas periféricas além da Covid-19. O Manda Notícias passou a ter mais tempo e incluir entrevistas e pautas relacionadas à cultura.

Desafios

Para a idealizadora do zapcast Manda Notícias, o principal desafio para manter o projeto é a falta de apoio financeiro. Sem patrocínio, a jornalista precisa conciliar outros trabalhos com a produção de conteúdo, o que a sobrecarrega eventualmente.

“Eu tive apoio financeiro de alguns institutos e fundações, mas hoje eu não tenho mais. Somos quatro na equipe, eu e três voluntários. Manter o engajamento e a produção periódica é muito difícil. Todo mundo precisa de dinheiro, então é difícil se dedicar quando você não tem um apoio financeiro para fazer aquilo acontecer”, avalia a jornalista.

“Se a gente consegue ter um investidor que acredita no nosso trabalho, a gente consegue trabalhar com atenção e com dedicação. Se a gente não tiver esse apoio fica bem difícil”, completa.

Impacto e futuro

“Se você conhece bem o seu público, você consegue pensar em estratégias que alcancem esse público”, ressalta Gisele.

Atuante no jornalismo periférico desde 2007, a idealizadora do Manda Notícias pondera ainda que quando se trata do morador de favela, é costume pensar apenas na dificuldade de levar a informação para essas pessoas, o que para ela pode ser contornado se o emissor estiver inserido e apropriado das necessiodades do receptor de mensagens.

“Eu acho que surge aí a mudança, o impacto mesmo na forma de consumir a informação dentro da periferia com o Manda Notícias. Quando a gente chega nesse nível, creio que a gente está no caminho certo. Olhar para as possibilidades que o mundo digital nos dá para falar com a periferia”, salienta.

Para o futuro, Gisele Alexandre pretende continuar a transmitir as notícias pelo WhatsApp, pensando na democratização das notícias, mas também deseja colocar o Manda Notícias como um um veículo local forte na zona sul.

“Eu quero muito pensar em novos formatos, sempre tendo essa missão de levar informação com qualidade para periferia, para o morador de quebrada, para o morador de favela que só tem um pacote de dados que lhe dá acesso ao WhatsApp. Penso também na diversificação de formatos, com vídeos curtos, para transformar o Manda Notícias efetivamente em mídia local”, finaliza.

Leia também: ‘Neuza Nascimento: de empregada doméstica a escritora e colunista’

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano