Pesquisar
Close this search box.

ONU procura afrodescendentes para intercâmbio

21 de maio de 2016

O Programa de Intercâmbio faz parte da Década Internacional de Afrodescendentes

Texto: Solon Neto / Edição de Imagem: Solon Neto

Estão abertas inscrições para o Programa de Intercâmbio da ONU para Afrodescendentes. O prazo limite da inscrição é 31 de maio. Para candidatar-se é preciso ter ascendência africana e viver na diáspora. Também é necessário comprovar quatro anos de experiência em trabalho com direitos de pessoas afrodescendentes, falar inglês, ter disponibilidade para o programa, e ter o apoio de uma organização que atue em assuntos relacionados aos povos afrodescendentes ou direitos das minorias. O Programa será realizado de 21 de novembro a 9 de dezembro em Genebra, Suíça e faz parte do Programa de Atividades para a Implementação da Década Internacional de Afrodescendentes (2015-2024)

Proclamada pela resolução da Assembleia Geral da ONU 68/237, a Década Internacional de Afrodescendentes tem como foco o reconhecimento, a justiça e desenvolvimento, e procura estimular nos estados membros a garantia dos direitos fundamentais dos afrodescendentes para a eliminação do racismo.

Mais detalhes sobre o programa e podem ser acessados na página de inscrição, que está em inglês: http://bit.ly/1ssBbit

Década Internacional de Afrodescendentes

O período de 2015 a 2024, sancionado pela Assembleia Geral da ONU, compõe a década dedicada aos afrodescendentes. Nela pretende-se garantir justiça, reconhecimento e desenvolvimento aos descendentes da diáspora. A organização de 193 países definiu os seguinte objetivos para a década:

  • Promover o respeito, proteção e garantia de todos os direitos humanos e liberdade fundamentais para os afrodescendentes, como reconhecido na Declaração Universal de Direitos Humanos;
  • Promover maior conhecimento e respeito sobre a diversa herança, cultura e contribuição dos afrodescendentes no desenvolvimento das sociedades;
  • Adotar e fortalecer medidas legais em âmbito nacional, regional e internacional, de acordo com a Declaração de Durban do do Programa de Ação e da Convenção Internacional para Eliminação de todas as Formas de Discriminação Racial.
  • Mapa do site da Década Internacional de Afrodescendentes mostra a rota do tráfico de escravizados. Cerca de 40% do africanos sequestrados vieram para o Brasil / ONU
  • Segundo a ONU, pelo menos 200 milhões de afrodescendentes vivem nas Américas. Mais da metade deles vive no Brasil. É internacionalmente reconhecida a vulnerabilidade social dos afrodescendentes, uma decorrência do racismo. Ainda segundo a entidade, os negros mundo afora são vítimas de violência policial, discriminação racial e judicial, além de baixa representação política e dificuldade de reconhecimento de suas lutas.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano