Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Projeto recupera terreiros na Bahia para estimular turismo religioso de matriz africana

Nove terreiros de candomblé em Salvador e um templo em Camaçari serão beneficiados em iniciativa que reconhece patrimônios culturais do estado
A imagem mostra pessoas reunidas durante a reunião do projeto Agô Bahia, que recupera terreiros visando o turismo religioso de matriz africana

Foto: Tatiana Azeviche/Setur-BA

21 de fevereiro de 2024

A Secretaria de Turismo do Estado (Setur-BA) assinou a ordem de serviço para a recuperação de nove terreiros de candomblé em Salvador e um templo em Camaçari. O investimento totalizará R$ 268,5 mil e faz parte das ações do projeto Agô Bahia, voltado para o fortalecimento do turismo religioso de matriz africana

A cerimônia para a assinatura, realizada na terça-feira (20), contou com a presença de lideranças do povo de santo e também marcou a entrega de certificados de capacitação a membros dos templos beneficiados, que participaram de cursos sobre atendimento turístico oferecidos pela pasta.

O secretário de Turismo, Maurício Bacelar, ressaltou a importância dos terreiros como patrimônio cultural da Bahia e seu potencial turístico. “O Governo do Estado está estruturando, qualificando e capacitando esses templos para receber melhor os visitantes. Através do projeto Agô Bahia, esperamos resultados exitosos em um segmento que desperta muito interesse, especialmente entre os turistas estrangeiros”, afirmou, segundo nota governamental.

Ângela Ferreira, iyakekerê do Terreiro do Gantois, destacou a iniciativa como uma vitória da comunidade de santo. “Essa iniciativa é uma vitória da comunidade de santo, um reconhecimento do nosso potencial religioso, espiritual e cultural, que vai nos ajudar na manutenção da nossa casa, que recebe milhares de turistas todos os anos”.

Cinha Brandão, ekede do Terreiro da Casa Branca, elogiou o apoio do governo às comunidades religiosas e sua preocupação com o turismo religioso, enfatizando a importância de preparar os turistas para compreenderem as tradições locais.

“A equipe técnica da secretaria visitou a nossa casa e viu o potencial que o candomblé oferece ao turismo. As festas são muito procuradas por turistas de fora. Nunca tivemos nenhum apoio do poder público. Então, o olhar, agora, será importante na recuperação da casa e atração de mais visitantes”, completou o tata muguanxi do Terreiro Bate Folha, Cícero Rodrigues Lima.

Além da recuperação dos espaços, a Setur-BA elabora um roteiro de visitação aos terreiros, oferecendo orientações aos turistas sobre como participar das manifestações religiosas de matriz africana. O secretário Bacelar destacou que o material informativo está em finalização com base no diálogo com as lideranças do candomblé.

Os terreiros beneficiados pelo projeto Agô Bahia em Salvador incluem a Casa Branca, Gantois, Ilê Axé Opô Afonjá, Bate Folha, Zoogodô Bogum Malê Hundó, Ilê Maroialaji Alaketu, Ilê Axé Oxumaré, Ilê Asipá e Hunkpame Savalu Vodun Zo Xwe. Em Camaçari, o templo contemplado é o Manso Kilebemkueta Lemba Furamon.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano