Pesquisar
Close this search box.

Representatividade na literatura importa

22 de novembro de 2018

Camilla Dias, do Instagram @camillaeseuslivros, dá indicação de 25 livros de escritores negros. Os gêneros vão de romance, fantasia, horror, ficção, ficção histórica e ficção científica a jornalismo literário, poesia, contos, quadrinhos e literaruta infantil

Texto / Camilla Dias
Imagem / Reprodução

Nós negros brasileiros não nos vemos representados nas grandes mídias nacionais, isso alimenta de forma significativa o preconceito racial e influencia diretamente na consciência da pessoa enquanto negra.

Isso pode explicar porque muitas pessoas não querem ser denominadas negras ou não se reconheçam como negros.

É importante para a formação da identidade racial e da autoestima nos reconhecermos naqueles que estão em evidência e nos representam nas diversas áreas e segmentos: esporte, artes, negócios, ativismo, política, literatura, etc.

A literatura pode nos apresentar diversos pensadores, teóricos e “fazedores de história”!

corpo1leituracamiladias

Os escritorxs negrxs trazem visibilidade e representatividade através da arte da escrita, proporcionam conhecimento sobre a história e cultura de nossos ancestrais, descrevem as lutas pelos direitos que ocorreram ao longo da história, nos dando embasamento para evidenciarmos as reais mudanças e os resquícios que ainda nos acometem, ou seja, como o negro vem sendo tratado na sociedade contemporânea.

Até mesmo a literatura ficcional pode apresentar a história, fatos e vivências, utilizando para isso a construção de personagens que darão vida a estas histórias de maneira menos teórica, mas nem por isso, fará com que o processo reflexivo iniciado com a leitura deixe de auxiliar na compreensão de uma determinada situação, contribuindo para a construção de criticidade, representatividade e empoderamento, aproximando o leitor das diferenças e das semelhanças que possibilitarão uma melhor convivência num mundo plural.

Nem todos escritorxs negrxs escrevem sobre racismo, escravidão, favela e marginalidade. A literatura negra, assim como qualquer outra, abrange muitos gêneros: romance, fantasia, horror, ficção, ficção histórica, ficção científica, jornalismo literário, poesia, contos, quadrinhos, infantil, etc., basta ao leitor descobrir o que mais lhe agrada.
Deixarei aqui como indicação, uma lista com 25 livros escritos por pessoas negras (ficção e não ficção), esperando contribuir para uma maior representatividade e diversidade literária em sua estante.

Boa leitura!

– Racismo, sexismo e desigualdade no Brasil (Sueli Carneiro)
– O que é lugar de fala (Djamila Ribeiro)
– Dororidade (Vilma Piedade)
– O genocídio do negro brasileiro (Abdias do Nascimento)
– Mulheres, raça e classe (Angela Davis)
– Peles negras, máscaras brancas (Franz Fanon)
– Heroínas negras brasileiras (Jarid Arraes)
– Negros Heróis (Roniel Felipe)
– Quarto de despejo (Carolina Maria de Jesus)
– Mamãe & Eu & Mamãe (Maya Angelou)
– Infiel (Ayaan Hirsi Ali)
– Olhos d’Água (Conceição Evaristo)
– Úrsula (Maria Firmina dos Reis)
– Um defeito de cor (Ana Maria Gonçalves)
– Kindred – Laços de sangue (Octavia Butler)
– Os caminhos para liberdade (Colson Whitehead)
– Americanah (Chimamanda Ngozi Adichie)
– Aqui estão os sonhadores (Imbolo Mbue)
– As alegrias da maternidade (Bucho Emecheta)
– O alegre canto da perdiz (Paulina Chiziane)
– Pesado demais para a ventania (Ricardo Aleixo)
– Sangue negro (Noemia de Sousa)
– Cumbe (Marcelo D’Salete)
– Meu crespo é de Rainha (Bell Books)
– Amoras (Emicida)

Camilla Dias nutre um perfil no Instagram, onde fala dos livros que lê, e um canal no YouTube.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano