Pesquisar
Close this search box.

RS: Governo federal distribui 102 cestas básicas para povos de terreiro

Segundo o Ministério da Igualdade Racial (MIR), a previsão é que mais 480 cestas de alimentos sejam entregues em outros municípios nos próximos dias
Foto mostra dois homens transportando as cestas básicas que foram doadas aos povos de terreiro no RS.

Foto: Reprodução / Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos

11 de junho de 2024

O Ministério da Igualdade Racial (MIR) anunciou um reforçou no atendimento aos povos de terreiros e comunidades tradicionais de matriz africana afetadas pelas chuvas no Rio Grande do Sul. Inicialmente, foram entregues 102 cestas de alimentos em cinco municípios.

A entrega foi articulada pela Diretoria de Políticas para Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana (DPMAT), que distribuiu as cestas para as lideranças de comunidades localizadas nas cidades de Eldorado do Sul, Guaíba, Montenegro, São Leopoldo e Sapucaia.

De acordo com o MIR, nos próximos dias a distribuição será estendida para Alvorada, Canoas, Esteio, Porto Alegre, Viamão, Feliz, Maquiné, Sarandi, Taquari e Arroio do Meio. A previsão é que 480 cestas básicas sejam ofertadas para mais de 240 famílias.

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, destacou a necessidade de reconhecer e incluir formalmente tais comunidades nos planos de emergência e calamidade, como ação fundamental para o fortalecimento da capacidade de resposta às emergências.

“A marginalização histórica e a vulnerabilidade social impostas a estas comunidades, as tornam particularmente suscetíveis aos impactos de desastres naturais e crises sociais. Sua inclusão nos planos de emergência garante seguridade e proteção a essas famílias”, afirmou a ministra em nota.

Além das entregas de cestas básicas, o ministério também destaca as ações continuadas realizadas com o apoio da pasta. No último mês foram cadastradas 75 cozinhas emergenciais de povos e comunidades tradicionais de matriz africana de terreiro.

A produção de marmitas das cozinhas comunitárias atendem aproximadamente 10 mil pessoas por dia. Junto com a produção alimentar, 14 comunidades estão em processo de credenciamento para oferecer alojamento. Os locais credenciados receberão apoio governamental com colchões, cobertores, e outros itens.

A entrega de alimentos para as comunidades reúne esforços federais, estaduais e de organizações da sociedade civil. Na esfera federal, participam o Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome (MDS) e a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

O âmbito estadual conta com a participação da Secretaria Estadual de Justiça e Direitos Humanos, o Conselho Estadual de Povos de Terreiros, a Superintendência do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) e o Departamento de Igualdade Étnico Racial da Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH).

Entre as organizações de defesa da população negra do RS parceiras do MIR nas ações estão o Fórum Nacional de Segurança Alimentar (Fonsanpotma), a Rede Nacional de Religiões Afro-brasileiras e Saúde (Renafro), a Rede Afroambiental, o coletivo Mulheres de Axé do Brasil, a Associação Nacional Cultural de Preservação do Patrimônio Bantu (ACBANTU) e o Conselho Estadual de Povos de Terreiro. 

  • Verônica Serpa

    Graduanda de Jornalismo pela UNESP e caiçara do litoral norte de SP. Acredito na comunicação como forma de emancipação para populações tradicionais e marginalizadas. Apaixonada por fotografia, gastronomia e hip-hop.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano