Pesquisar
Close this search box.

‘Vou matar vocês’: homem ameaça manifestantes em ato pela democracia em SP

Segundo uma das vítimas, o agressor em momento algum citou ou fez alusão em apoio a Bolsonaro; ele foi imobilizado pelos populares enquanto aguardava a chegada da polícia
Reprodução

Foto: Reprodução

10 de janeiro de 2023

Um homem portando uma arma falsa ameaçou diversos manifestantes durante o ato pela democracia ocorrido na noite desta segunda-feira (9), em São Paulo. O agressor, identificado como Marcos Akira Fujimoto, estava com um simulacro – arma de ar comprimido – e munição durante os protestos, e gritava “vou matar todos vocês” enquanto apontava a arma para as pessoas em volta.

Segundo Júnior França, uma das testemunhas que representou contra o agressor na delegacia, tudo aconteceu muito rápido. O protesto – que ia da Avenida Paulista até a praça Roosevelt, corria tranquilamente até que Marcos Akira sacou a arma e passou a apontá-la individualmente para ele e outros manifestantes.

“Ele ficava apertando o gatilho. Até então, ninguém sabia que a arma não era de verdade. Ele [Marcos] gritava ‘vocês merecem morrer’ e ‘eu vou matar todos vocês’. Nisso, alguns manifestantes o imobilizaram e tomaram sua arma, em que foi constatado que a arma era um simulacro”, relembra a vítima.

O autor da ameaça foi jogado no chão, e para impedir que os manifestantes o agredisse, Júnior França o defendeu e pediu para os demais aguardarem a presença da polícia. Segundo o Boletim de Ocorrência, representado por cinco vítimas, Marcos Akira recusou atendimento médico e não quis realizar o exame de corpo de delito, apesar de apresentar escoriações, feitas por populares exaltados. O B.O foi aberto no 78º Distrito Policial dos Jardins.

Já na delegacia, segundo as informações do documento, Marcos Akira afirmou que toma medicamentos controlados e que estava acompanhando o ato pela democracia junto aos demais manifestantes. Ele ainda afirmou que comprou o simulacro em um site de vendas pela internet, no valor de R$ 1.500,00.

De acordo com Júnior França, em momento algum Marcos admitiu ou fez qualquer alusão em apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL). “Eu acho que ele quis causar, tem relato de um vídeo que ele repudia o ato golpista no Congresso. Parece que ele tem algum problema psicológico”, pondera a vítima.

Marcos Akira postou recentemente em seu canal do YouTube um vídeo em que se mostra indignado com a situação causada por bolsonaristas no ataque aos Três Poderes. Júnior França afirmou que provavelmente levará o caso à justiça. Para a ocorrência, ele e as demais vítimas foram amparados por defensores públicos.

“Acredito que iremos representar, vai da vontade de cada vítima. Fomos perguntados se agredimos ele e deixamos bem claro que, na verdade, eu o defendi para que ele não fosse agredido pelos outros manifestantes”, destaca.

A Alma Preta Jornalismo não conseguiu contato com Marcos Akira Fujimoto para repercutir as informações. Caso ele se manifeste após essa publicação, a matéria será atualizada.

Leia também: ‘Intervenção federal não é intervenção militar; entenda a diferença’

  • Redação

    A Alma Preta é uma agência de notícias e comunicação especializada na temática étnico-racial no Brasil.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano