Pesquisar
Close this search box.

Abertura do FLINK SAMPA lota auditório do Memorial da América Latina

13 de novembro de 2015

Texto: Solon Neto / Fotos: Solon Neto

 Evento começa hoje e espera reunir 15 mil pessoas no espaço das Américas, em São Paulo

Ao longo dos próximos três dias, cerca de 15 mil pessoas são esperadas para participar do FLINKSAMPA – Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra no espaço aberto do Memorial da América Latina, em São Paulo. O evento chega à sua terceira edição em 2015 repleto de atrações. O homenageado deste ano é Martinho da Vila, que lançará seu 14º livro, “Barras Vilas e Amores”, pela editora SESI-SP. A festa será sediada no Memorial da América Latina. O principal convidado do evento é escritor nigeriano Wole Soyinka, Prêmio Nobel de Literatura em 1986. Além deles, o evento terá, entre outros, apresentações de Toni Tornado e Rael, e participações do ator Lázaro Ramos, e da Consulesa da França, Alexandra Baldeh Loras.

A programação inclui debates literários com autores brasileiros e estrangeiros, lançamento de livros com sessões de autógrafos, espetáculos de teatro e de dança, exibição de filmes, oficinas de moda e beleza e atividades especiais para crianças. Serão apresentados, também, dois desfiles de moda organizados pelo Centro Paula Souza, o Miss Dior e o Saias Étnicas.

Abertura lota auditório e tem presença de personalidades

Ontem, a solenidade de abertura do FLINK SAMPA lotou o auditório do Memorial da América Latina. Com a presença de autoridades, atletas e ex-atletas brasileiros, professores e estudantes de várias universidades, a reunião concentrou os esforços de criar laços de combate ao racismo com atores de diversos países. O coral da Universidade Zumbi dos Palmares emocionou a todos com uma versão do hino nacional seguida de “When He Comes (Kwaze Kwabona Kala)”, aclimatando as conversas seguintes.

À mesa de abertura estavam Dr. José Vicente, Reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, Daiane dos Santos, ex-ginasta da seleção brasileira de ginástica olímpica, Dr. Meldon Hollis, Diretor da Iniciativa e Educação da Casa Branca para HBCU’s (EUA), Maurício Pestana, Secretário Municipal de Promoção da Igualdade Racial, Nabil Bonduki, Secretário Municipal da Cultura, Guiomar de Grammont, curadora do evento, Dr. Joe H. Beasley, Beasley Foundation, e Marco Antonio Pellegrini, secretário adjunto da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência,

Em sua fala, Maurício Pestana, secretário municipal de promoção da igualdade racial, ressaltou ao público que São Paulo é a maior cidade negra brasileira, e que é de suma importância apoiar eventos do gênero. Na mesma linha seguiram os outros convidados, que reafirmaram a necessidade do debate racial. Dr. Meldon Hollis, ressaltou a discriminação sofrida em universidades americanas, e que a organização é um diferencial e uma garantia de conquistas de direitos aos negros. Ele lembrou que o esporte pode ser um aliado forte no combate ao racismo e citou exemplos dos EUA.

A ginasta Daiane dos Santos, bastante aplaudida, pontuou a necessidade do esporte para o reconhecimento do negros na sociedade e necessidade de políticas que possam ampliar este quadro.

A IV Conferência Internacional ‘Educação, Conhecimento, Diversidade e Ações Afirmativas’ – Racismo no Esporte: Da Educação ao Legado Olímpico  terá seus debates principais ao longo desta sexta-feira, e termina amanhã com a leitura do relatório parcial da Comissão da Verdade sobre a Escravidão Negra.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano