Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Ativista, negro  e queer: conheça James Baldwin, homenageado pelo Google

O escritor foi um grande romancista do século XX e defensor dos direitos civis
A imagem mostra o escritor estadunidense James Baldwin, homenageado pelo google nesta quinta-feira (1).

Foto: Reprodução

1 de fevereiro de 2024

O escritor e ativista dos direitos civis James Baldwin foi homenageado pelo Google nesta quinta-feira (1), com um doodle personalizado. Baldwin foi um dos grandes expoentes culturais negros no século XX e se destacou por retratar em suas obras assuntos relacionados a raça, classe e sexualidade.

Nascido em agosto de 1924, James Baldwin cresceu nas ruas do Harlem, em Nova York (EUA) e desde muito jovem foi responsável por cuidar de seus oito irmãos.

Durante a adolescência, Baldwin, influenciado por seu padrasto, desempenhou o papel de ministro júnior em uma igreja local. No entanto, sua paixão pela expressão artística também o levou a contribuir para a revista de seu colégio, onde começou a compartilhar seus poemas, histórias curtas e peças.

Em 1944, aos 20 anos, Baldwin viu seu potencial como escritor reconhecido ao receber uma bolsa de estudos. No entanto, seu caminho para a publicação do primeiro romance, “Go Tell It on the Mountain”, foi marcado por uma jornada de 12 anos. Este trabalho, uma narrativa semibiográfica, agora é considerado uma das joias literárias do século XX na língua inglesa.

Aos 24 anos, Baldwin se mudou para a França, país que se revelou propício para sua expressão literária mais livre e pessoal. Durante esse período, o autor produziu uma série de ensaios notáveis, incluindo “Notas de um filho nativo”, “Ninguém Sabe meu Nome” e “Da Próxima Vez, o Fogo”. Seu segundo romance, “O Quarto de GIovanni”, lançado em 1956, ganhou destaque por ser um dos primeiros a abordar abertamente a temática da homossexualidade na cultura mainstream. 

A jornada de James Baldwin reflete não apenas uma rica contribuição à literatura, mas também um testemunho da complexidade e diversidade da experiência humana.

Baldwin também defendeu a causa da comunidade negra, enquanto vítima da segregação racial. Ao longo da vida, foi amigo dos líderes Malcolm X, Martin Luther King e Medgar Evers.

Homenagem do Google

A homenagem do Google foi criada pelo artista convidado Jon Key, de Nova York. Key afirma que, enquanto artista negro e queer, foi inspirado pelos ensinamentos radicais e transformadores de Baldwin. “[Ele] não tinha medo de falar o que pensava e defender as vozes marginalizadas”, afirma.


Key se inspirou em inúmeras fotos e retratos de James Baldwin trabalhando e escrevendo em seu escritório e espera que outras pessoas reconheçam as contribuições de James Baldwin e outros literatos negros que transformaram a paisagem literária da América.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano