Pesquisar
Close this search box.

Curta-metragem destaca 15 anos de cotas na Universidade de Brasília

4 de junho de 2019

A obra será dirigida por dois ex alunos da universidade, que acessaram o ensino superior por meio das cotas raciais. Vaquinha online foi criada para financiar a produção

Texto / Lucas Veloso I Imagem / Divulgação

Leni, com 52 anos e o filho Samuel, com 18, moram na cidade satélite do Pôr do Sol, periferia do Distrito Federal, e precisam trabalhar duro para garantir o sustento da casa. Em comum, os dois dividem a paixão pelos estudos e a vontade de obter um diploma universitário.

A partir desses fatos é que se desenrola a história do curta-metragem “Rumo”, que retratará o sistema de cotas raciais na Universidade de Brasília (UnB), adotado há 15 anos. A instituição foi a primeira universidade federal do país a implementar a política.

A obra será produzida pelos cineastas Marcus Azevedo e Bruno Victor, diretores que estudaram Cinema na Universidade. Para eles, o momento político do Brasil pede a produção de obras que ressaltam a importância de políticas de inclusão.

“As cotas raciais tiveram um impacto muito grande, no sentido de apresentar novas perspectivas para a população negra no Brasil. Quantos de nós foram os primeiros de suas famílias a entrar numa universidade?”, questiona Victor.

“A imagem de negros e negras se formando em advocacia, cinema e tantas outras profissões é muito importante, também, para a autoestima dos mais jovens que vislumbram novas possibilidades para suas vidas”, completa.

Com o objetivo de produzir a obra, a dupla abriu uma vaquinha online para conseguir o valor inicial: cinco mil reais. A ideia é que essa quantia dê conta da alimentação e transporte da equipe.

Para colaborar, acesse: https://benfeitoria.com/rumofilme

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano