Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Desfile da Paraíso do Tuiuti denuncia abusos da Marinha na Revolta da Chibata

A escola retratou o capitão João Batista Neves como opressor em fantasia na Ala 11
Imagem mostra ala no desfile da Paraíso do Tuiuti, no Rio de Janeiro.

Foto: Reprodução/Instagram

13 de fevereiro de 2024

Quinta escola a desfilar na Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro, na noite de segunda-feira (12), a Paraíso do Tuiuti fez uma homenagem a João Candido, líder da Revolta da Chibata, com o samba-enredo “Glória ao Almirante Negro”.

A Ala 11 da agremiação trouxe a fantasia “Comandante Cruel”, que denuncia os abusos cometidos contra os marinheiros negros na época do levante, em 1910.

O comandante em questão é o capitão João Batista Neves, oficial da marinha conhecido por agredir os marinheiros negros com castigos corporais. Na fantasia, a parte de cima da roupa representa o uniforme da marinha, enquanto a máscara de caveira retrata o algoz que o capitão foi na vida dos navegantes.

O homenageado João Candido era chamado de Almirante Negro e é um dos heróis abolicionistas do Brasil. Quem interpretou o almirante no desfile da Tuiuti foi Max Ângelo dos Santos, entregador de aplicativo que foi vítima de uma agressão racista em 2023.

  • Verônica Serpa

    Graduanda de Jornalismo pela UNESP e caiçara do litoral norte de SP. Acredito na comunicação como forma de emancipação para populações tradicionais e marginalizadas. Apaixonada por fotografia, gastronomia e hip-hop.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano