Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Tombada pelo Iphan e com obras de Aleijadinho, igreja histórica é reinaugurada

A ministra da Cultura, Margareth Menezes, participou da cerimônia que reabriu a Igreja de São Francisco de Assis, após 14 anos de obras
A Igreja de São Francisco de Assis, que conta com obras de Aleijadinho, e o novo Museu de Mariana recém-inaugurados.

Foto: Nelson Kon/Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

4 de outubro de 2023

No dia 4 de outubro é celebrado o Dia de São Francisco de Assis. O santo é conhecido por sua devoção à natureza, amor pelos animais e compromisso com a humildade e a compaixão. Após ficar 14 anos fechada e passar por uma restauração, a Igreja de São Francisco de Assis, localizada no centro histórico de Mariana, Minas Gerais, pode realizar a missa em comemoração a essa data. 

O projeto em questão também incluiu a restauração da Casa do Conde de Assumar, que foi inaugurada como o novo Museu de Mariana. A ministra da Cultura, Margareth Menezes, esteve presente na cerimônia realizada na última quinta-feira (28).

A igreja teve sua construção em 1762. A fachada e diversos elementos ornamentais, incluindo os púlpitos em pedra-sabão, o retábulo mor, o lavabo e o teto da capela-mor, foram projetados pelo escultor e arquiteto negro Aleijadinho, um dos maiores nomes do barroco mineiro.

Erguidas durante o período em que a cidade histórica era a capital de Minas Gerais, os imóveis foram tombados em 1938, quando o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) deu início às suas atividades. Elas estão integradas ao Conjunto Arquitetônico e Urbanístico do município.

Segundo o Instituto Pedra, que estava encarregado das restaurações, os trabalhos tiveram início em junho de 2019 e, agora, em 2023, foram finalizados. 

A igreja era um dos locais culturais mais visitados na cidade de Mariana até ser interditada. O Museu de Mariana tem o próprio município como seu tema central.

Nesse contexto, tanto a Igreja de São Francisco de Assis quanto a antiga Casa do Conde de Assumar adquirem novas interpretações, enfatizando a importância do patrimônio arquitetônico e artístico nacional não apenas como testemunhos do passado, mas como locais que fortalecem a identidade, geram recursos econômicos e proporcionam educação para as gerações atuais e futuras.

  • Bárbara Cavalcante

    Jornalista formada pela Universidade Anhembi Morumbi, desde a adolescência é imersa em projetos sociais. Apaixonada por futebol e cultura pop, é nascida e criada na Zona Leste de São Paulo. Atua como social media e é aprendiz de redatora.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano