Pesquisar
Close this search box.

Lázaro Ramos confirma ‘Ó Paí, Ó 3’: ‘Ainda temos o que falar’

A segunda parte do filme estreia em 23 de novembro nos cinemas; ator falou em podcast sobre o planejamento para o terceiro longa da franquia, ainda sem data prevista
Lázaro Ramos em cena do filme "Ó Paí, Ó 2" com pessoas atrás.

Foto: Reprodução

9 de novembro de 2023

Prestes a estrear nos cinemas com o filme “Ó Paí, Ó 2”, o ator e diretor Lázaro Ramos confirmou durante participação no podcast “Traz a Pipoca”, do Telecine, que a terceira parte da franquia já é planejada e que ainda tem histórias pertinentes a serem contadas.

Durante a conversa, mediada pelos apresentadores Moisés Liporage, Renata Boldrini e Bruna Scot, o ator comentou que nunca tinha pensado sobre um filme que atuou ter uma continuação, mas que o primeiro foi inspiração para a sequência.

“Depois da série, a gente achou que não tinha mais para onde ir, mas agora a gente já está planejando o terceiro. A gente descobriu que ainda tem o que falar”, revelou.

Segundo Lázaro Ramos, a equipe por trás de “Ó Paí, Ó” também não planejava criar um segundo filme. O longa estreia nos cinemas no dia 23 de novembro, mesma data em que o episódio do podcast será disponibilizado.

“A gente nunca planejou fazer um segundo filme, foi a força do primeiro, e da série, que o manteve atual nas conversas, com memes, gifs… Outro dia, eu vi até calcinha para vender com frases do ‘Ó Paí, Ó’, em Salvador. É uma obra muito fresca! Eu nunca pensei que um filme que eu fiz teria utilidade com uma continuação, mas eu estava errado”, disse.

O ator comentou ainda sobre outros filmes que dirigiu, atuou e assistiu ao longo da carreira terem uma continuação.

“Na verdade, é uma grande oportunidade, tanto é que agora eu fico pensando: de qual filme eu vou fazer continuação? Outro dia eu falei: ‘Jorge [Furtado], vamos fazer ‘O Homem Que Copiava 2?’. Daqui a pouco, vamos ter ‘O Auto da Compadecida 2’, e isso é legal porque a gente acaba revisitando filmes da retomada do cinema nacional”, afirmou.

Processo de criação de ‘Ó Paí, Ó 2’

Para Lázaro Ramos, o processo de criação de “Ó Paí, Ó 2” foi ainda mais desafiador por ter que se atualizar diante do contexto sociopolítico.

“De alguma maneira, ao fazer este filme, a gente reflete sobre o Brasil dos últimos 15 anos […]. Algumas coisas das quais a gente ria em 2007, agora fazem a gente pensar: como falar desse assunto? Senti que a gente encontrou um outro sabor, um humor um pouco diferente que traz alguns momentos muito emotivos”, disse.

Parte das atualizações da trama e da produção só foram possíveis, segundo Lázaro, por conta dos trabalhos de Viviane Ferreira à frente da direção do longa — em 2020, ela se tornou a segunda mulher negra a dirigir individualmente um longa-metragem de ficção no Brasil —, e de Aline Soares na direção de fotografia.

  • Patricia Santos

    Jornalista, poeta, fotógrafa e vídeomaker. Moradora do Jardim São Luis, zona sul de São Paulo, apaixonada por conversas sobre territórios, arte periférica e séries investigativas.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano