Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Apenas 7% das viagens dos secretários de Cultura foram para o nordeste

Levantamento realizado pela Alma Preta Jornalismo, com base nos dados presentes no Portal da Transparência do Governo Federal, revela que em quase quatro anos apenas seis viagens foram feitas para a região

Os seis secretários que ocuparam a cadeira da cultura

Foto: Imagem: Reprodução Instagram

12 de julho de 2022

Dados presentes no Portal da Transparência do governo federal revelam que, em quase quatro anos da gestão Bolsonaro, os secretários especiais da Cultura realizaram apenas seis viagens ao Nordeste, de um total de 89. Entre os nove estados da região, os representantes estiveram somente em municípios de Pernambuco e da Bahia.

Entre 2019 e 2020, período de intensa troca de cargos na Secretaria vinculada ao Ministério do Turismo, dos quatro secretários que estiveram presentes na pasta – em ordem, Henrique Pires, Ricardo Braga, Roberto Alvim e Regina Duarte -, nenhum deles realizou viagens à região. 

Destaque para 2020, primeiro ano da pandemia de Covid-19: das oito viagens realizadas pelo país, três foram para a região Sudeste e duas para o Sul. As visitas contemplaram Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

No ano seguinte, em 2021, sob a direção de Mario Frias, que sucedeu a curta gestão de Regina Duarte, a representação da Secretaria Especial de Cultura (SECULT) esteve no Nordeste em cinco ocasiões. Na Bahia, o então secretário esteve uma vez no mês de abril, quando integrou a comitiva de Gilson Machado Neto, ex-Ministro do Turismo do Brasil e duas vezes em junho; uma para entregar a obra de restauração da Paróquia Santíssimo Sacramento, em Itaparica, e outra para uma reunião com o prefeito do município de Luís Eduardo Magalhães.

Leia mais: “Muito do que foi feito, foi sucateado”, diz ex-ministra Matilde Ribeiro

Já em Pernambuco, Frias esteve em duas ocasiões: no mês de junho de 2021, com a comitiva do ex-Ministro do Turismo, que passou pelas cidades de Caruaru e Recife; e em setembro do mesmo ano, quando voltou a Caruaru para participar do evento “Plano de Ação de Governo dos 100 dias” e de uma inauguração de uma praça de esportes e cultura. 

Em contrapartida, no mesmo ano, em comparativo, o número de idas à São Paulo foi superior às idas em toda a região em questão, com sete visitas. O balanço também aponta discrepância nos custos anuais. Em viagens ao Nordeste, Mario Frias gastou cerca de R$ 6.812,46, valor 10 vezes menor que os R$ 69.638,45 gastos em viagens internacionais; uma para os Estados Unidos, onde esteve sob a justificativa de “apresentação de produção audiovisual envolvendo cultura e esporte”, e outra para a Itália, onde esteve na abertura da exposição do pavilhão do Brasil na 17ª Mostra Internacional de Arquitetura da Bienal de Veneza. 

A falta de idas à região seguiu no primeiro semestre de 2022. O atual secretário especial de cultura, Hélio Ferraz, sucessor de Frias, realizou nove viagens, mas apenas uma foi ao Nordeste, de acordo com dados informados pelo Portal da Transparência. Em abril, o representante esteve em uma homenagem aos 522 anos da primeira missa realizada no Brasil – em 26 de abril de 1500 -, no município de Santa Cruz Cabrália, na Bahia. Já em São Paulo, até o momento, esteve sete vezes. 

A Secretaria de Cultura foi procurada pela Alma Preta Jornalismo questionada sobre as agendas dos secretários, mas até o momento não deu um retorno, caso o faça o texto será atualizado. 

Leia também: Cinco pré-candidatos favoritos ao governo de Pernambuco são brancos

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano