Pesquisar
Close this search box.

Governo federal anuncia projeto de restauração florestal da Amazônia

Iniciativa faz parte de projeto que visa restaurar 24 milhões de hectares de áreas desmatadas
Adriano Gambarini / MMA

Foto: Adriano Gambarini / MMA

26 de maio de 2024

O Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA) anunciou, na quinta-feira (22), o resultado do edital “Restaura Amazônia”, no qual três entidades foram selecionadas para projetos de restauração da floresta, com recursos de R$ 450 milhões do Fundo Amazônia.

A iniciativa, que deve ocorrer em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), pretende apoiar projetos de restauração ecológica voltados a Unidades de Conservação, Terras Indígenas e territórios de povos e comunidades tradicionais, entre outros.

As entidades selecionadas foram o Instituto Brasileiro de Administração Municipal (Ibam), que vai atuar nos estados do Acre, Amazonas e Rondônia; Fundação Brasileiro Para o Desenvolvimento Sustentável (FBDS), que atuará no Tocantins e em Mato Grosso; e Conservação Internacional (CI/Brasil), que trabalhará no Pará e no Maranhão.

Com o resultado, as três instituições passam a ser parceiras gestoras do BNDES na execução, seguindo as orientações do banco e do MMA no suporte para seleção dos projetos nos territórios

O projeto faz parte do chamado “Arco da Restauração na Amazônia“, iniciativa do BNDS construída em parceria com o (MMA) anunciada na 28ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP-28). No total, estão previstos investimentos de aproximadamente R$ 200 bilhões nas próximas décadas. 

Na primeira, os recursos do Fundo Clima irão se somar a outras fontes de apoio para investimentos de até R$ 51 bilhões. O objetivo é restaurar seis milhões de hectares de áreas desmatadas e capturar 1,65 bilhão de toneladas de carbono da atmosfera até 2030. 

Já a segunda etapa prevê investimentos de até R$ 153 bilhões, com participação de recursos do Fundo Clima para restaurar outros 18 milhões de hectares até 2050. A previsão é de que o “Arco da Restauração” poderá gerar até dez milhões de empregos na Amazônia.

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano