Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Líderes africanos se encontram com Lula em busca de apoio internacional

Presidente Lula iniciou mandato se reunindo com lideranças de todo o mundo; líderes de países africanos e da América Latina apostam no fortalecimento das relações internacionais
Ricardo Stuckert/Instagram/Reprodução

Foto: Ricardo Stuckert/Instagram/Reprodução

3 de janeiro de 2023

O primeiro dia útil do terceiro mandato de Luiz Inácio Lula da Silva como presidente do Brasil foi intenso. Nessa segunda-feira (2), ele se reuniu, em Brasília, com 15 líderes internacionais que vieram ao país para prestigiar sua posse. De acordo com o Itamaraty, a cerimônia do último domingo (1º) bateu o recorde por reunir a maior quantidade de chefes de Estado e de governo. No total, foram 21 autoridades. Entre eles, lideranças de alguns países africanos, como Guiné-Bissau, Angola e o primeiro-ministro de Mali.

Contudo, a agenda de Lula só comportou encontros com 15 autoridades. Parte das reuniões previstas para acontecer nesta segunda foi cancelada por falta de tempo. Cada encontro durou, em média, 30 minutos. João Manuel Gonçalves Lourenço, presidente de Angola, foi o primeiro líder africano a conversar com Lula. No final de 2022, Téte António, ministro das Relações Exteriores do país, afirmou que pretende intensificar os acordos e relações que tem com o Brasil.

“O Brasil é a terceira economia do continente americano, depois dos Estados Unidos e do Canadá e a nona economia mundial. Portanto, temos muita coisa a fazer com o Brasil no que diz respeito aos nossos próprios interesses que têm a ver com a diversificação da economia, já que o Brasil tem instrumentos e conhecimentos científicos que pode partilhar com Angola nesse sentido”, ressaltou o ministro em recente pronunciamento.

Ainda de acordo com ele, neste ano, o Brasil e Angola devem assinar um Memorando de Entendimento, que abrange, entre outros pontos, incentivo e parceria à setores como agricultura e indústria, no âmbito do processo de diversificação da economia angolana. Cabe lembrar que os dois países possuem alguns acordos de cooperação em vigor, com destaque para agricultura, energia, saúde, defesa e investimento.

Mali

O primeiro-ministro da República do Mali, Choguel Kokalla Maïga, também marcou presença na posse de Lula no domingo e aproveitou a ocasião para conversar com o presidente empossado. O encontro deve ter tido como pauta o apoio do Brasil ao país africano, que, sob comando de uma junta militar, sofre intensa crise política, de segurança e humanitária.

“Participei ontem, domingo, 1º de janeiro de 2023, a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Contou com a presença de vários chefes de estado e de governo. Nesta segunda-feira, 2 de janeiro, terei um encontro pessoal com o presidente Lula, que inicia um novo mandato de 4 anos. Um encontro durante o qual várias questões de interesse nacional serão abordadas pelas duas personalidades”, escreveu Choguel Kokalla Maïga.

Guiné-Bissau

Estes encontros de Lula com representantes de alguns países da África buscam dar ao Brasil um novo protagonismo no continente vizinho ignorado durante os quatro anos em que o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) esteve no poder. O apoio do governo brasileiro pode contar muito para a pacificação e crescimento desses territórios.

O presidente de Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, também pediu apoio ao presidente Lula para fortalecer as relações entre os dois países. “Nossas discussões se concentraram no fortalecimento das relações entre o Brasil e a África, que o presidente Lula quer priorizar”, detalhou nas redes sociais.

“Encontro com o presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, em que reafirmei o compromisso em fortalecer as relações com o continente africano”, publicou Lula em sua conta oficial na internet.

Outros encontros

Além das lideranças africanas, Lula também se reuniu com outras autoridades estrangeiras. Entre elas, Alberto Fernández, presidente da Argentina, que afirmou que o novo governo brasileiro vai ter também um papel essencial nas relações entre os países que compõem a América Latina.

“Tive uma reunião bilateral extraordinária com o novo presidente do Brasil, Lula. Falámos da importância e da necessidade de aprofundar o vínculo indissolúvel e histórico entre os dois países, que nos últimos [quatro] anos tinha sido difícil de concretizar”, iniciou Alberto Fernández.

“O povo deu a ele o reconhecimento que merecia, sua presença e liderança garantem o retorno do Brasil aos fóruns internacionais. Estamos no mesmo caminho, buscamos o mesmo destino para nossos povos e a integração da América Latina”, complementou.

Após a reunião com Lula, Fernández ainda finalizou confirmando que o mandatário brasileiro irá à Argentina no dia 23 deste mês e anunciou também que ambos participarão de um encontro da Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), em Buenos Aires, no dia 24. Bolsonaro deixou de participar da Celac em 2020, um ano depois de assumir a presidência, sob a justificativa de que não formaria grupo em que os governos de Cuba e Venezuela estivessem presentes. 

“No dia 23 de janeiro nos encontraremos na Argentina para avançar com ações concretas e institucionalizar esta relação, e no dia 24 nos reuniremos com a Comunidade dos Estados Latino-Americanos e Caribenhos. Te espero de braços abertos e com muito amor, Lula, pois o povo argentino espera por você”, concluiu o presidente da Argentina.

Lula também se reuniu com o rei Felipe VI (Espanha) e os presidentes Marcelo Rebelo de Sousa (Portugal), Frank-Walter Steinmeier (Alemanha), José Ramos-Horta (Timor Leste) e Xiomara Castro (Honduras), além de outras lideranças. À noite, o Itamaraty realizou um coquetel para os convidados internacionais.

Leia também: Dos 37 ministros de Lula, 10 se autodeclaram negros

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano