Pesquisar
Close this search box.

Prefeito que reduziu salário para valor mínimo é o primeiro negro eleito ao cargo em Jacobina

oie_K7gu4WQDBNDu

8 de janeiro de 2021

Tiago Dias viralizou ao abrir mão do salário de chefe do executivo da cidade no interior da Bahia para ganhar por mês o equivalente a um salário mínimo (R$ 1.100)

Texto: Victor Lacerda I Edição: Nataly Simões I Imagem: Reprodução/Facebook

Com a posse dos novos prefeitos brasileiros no início de janeiro, um fato surpreendeu a opinião pública, o de o prefeito eleito da cidade de Jacobina, localizada a 340 km de Salvador, na Bahia, assinar um decreto em que abria mão de 92% do salário mensal previsto para o cargo municipal. Natural do distrito de Cachoeira dos Alves, Tiago Dias (PCdoB) de 37 anos, receberá em seu primeiro ano de mandato um valor equivalente a um salário mínimo (R$ 1.100) por mês e é a primeira pessoa negra eleita para o cargo mais importante do Executivo da cidade.

Filho de uma merendeira e um agricultor, o novo gestor foi eleito com 19.207 votos, totalizando 45,82% das intenções de votos na cidade. Dias venceu outros dois candidatos, Luciano Pinheiro (DEM), com 405 votos (43,91%); e Mariana Oliveira (PT), com 4.306 votos (10,27%). Com o resultado, foi a primeira vez que um partido de esquerda chegou ao Poder Executivo no município, que no último censo levantado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), totalizou 80.365 habitantes.

Com a decisão de abdicar de seu salário, Dias retorna R$ 170 mil aos cofres públicos. O prefeito pretende substituir a finalidade do valor e repassá-lo para instituições de apoio à crianças em situação de vulnerabilidade social e aumentar os investimentos voltados para o desenvolvimento da Zona Rural da cidade. 

Via rede social, o novo prefeito informou que a decisão foi em prol de dias melhores para a população jacobinense. “Primeiro decreto assinado e o local escolhido foi o Construindo o Amanhã. Assumo o compromisso de reduzir o meu salário para um salário mínimo. Estamos em um momento de pandemia e quero fazer a minha parte para trazer Dias Melhores para nossa cidade”, escreveu. 

No dia 7 de janeiro, Dias realizou uma das primeiras ações da atual gestão e também chamou a atenção em sua página no Instagram ao vestir a farda dos funcionários de limpeza contratados pela prefeitura e participar de um mutirão de retiradas de lixos,  poda de árvores e campanha de conscientização com população local sobre cuidados e preservação com o meio ambiente. 

Sua alçada ao cargo pode ser lida como fruto de sua atuação como ex-vereador do município entre os anos de 2012 e 2020, em dois mandatos consecutivos.  Durante disputa eleitoral para a Prefeitura, o então candidato declarou três motocicletas, uma de 2004, outra de 2005 e, a mais nova, de 2013, como total de seus bens. Ao todo, o valor estimado chegava a R$ 11.500. 

Como plano de governo apresentado, ao lado de sua vice, Kátia da Saúde, pautou temas como agricultura familiar, educação, saúde, esporte, cultura, turismo, atenção aos povos tradicionais, políticas públicas para a população LGBTQI+, melhorias na infraestrutura da cidade, proteção aos animais, preservação do meio ambiente, segurança pública, transparência fiscal e participação popular.

Trajetória de trabalho desde a infância

Para ajudar na renda da família, entre os seis e nove anos de idade, Tiago Dias vendeu castanha nos arredores de casa e acompanhou o pai  na Feira Livre de Jacobina para vender frutas e verduras.  Depois, passou a entregar compras com carrinho de mão e a guardar dinheiro para alcançar a meta de comprar uma bicicleta para ajudar na sua locomoção entre o distrito em que morava e o centro do município. 

Aos 14 anos, trabalhou de ajudante em uma oficina de automóveis no centro da cidade e conciliava a atividade com o compromisso de tirar leite das vacas na roça da família.

Antes de entrar para a política, já adulto, ainda exerceu funções como vendedor de peças automotivas, motoboy, atendente da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (COELBA) e agente de créditos. 

Aos 24 anos, assumiu o primeiro cargo de liderança, ao ser eleito como presidente da Associação de Moradores de Cachoeira dos Alves, sendo o porta-voz que cobrava dos órgãos públicos e secretarias municipais melhorias na qualidade de vida dos pequenos agricultores e da população da roça. Como ocupação registrada na Justiça Eleitoral, atualmente assume a posição de agricultor com ensino médio completo.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano