Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Líbia tem cidade destruída por inundação e acumula 2,3 mil mortes

Autoridades rivais acreditam que a quantidade de mortos pode chegar a até 10.000

Texto: Redação | Imagem: AFP

Carros tombados entre os destroços de inundações em Derna, na Líbia, 11 de setembro de 2023

12 de setembro de 2023

Após inundações de grandes proporções na Líbia, as mortes de pelo menos 2.300 pessoas foram confirmadas pelo governo local — reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU). Outras 10.000 pessoas estariam desaparecidas e mais de 7.000, feridas.

Conforme relatou o Crescente Vermelho — equivalente local à Cruz Vermelha — cerca de 20.000 pessoas estão desabrigadas. Segundo a agência AFP, autoridades rivais no país acreditam que o número de mortos pode chegar a até 10.000 — a Líbia tem pelo menos dois governos rivais que disputam o controle do país.

A catástrofe na Líbia está concentrada na cidade portuária de Derna, no mar Mediterrâneo, destruindo bairros inteiros em decorrência da passagem da tempestade Daniel. Além de Derna, a tempestade também atingiu, no domingo (10), as cidades líbias de Benghazi, Sousse, Al Bayda e Al-Marj, após passar por Grécia, Bulgária e Turquia.

Com cerca de 100 mil habitantes, Derna está localizada a cerca de 900 km da capital do país, Trípoli, e é cortada pelo rio Wadi Derna — um rio sazonal que fica seco durante parte do ano.

Depois da tempestade, pelo menos duas barragens foram destruídas no rio, liberando um fluxo de água que destruiu pontes e regiões inteiras da cidade. Estradas que davam acesso às áreas afetadas também foram destruídas. Segundo informações da agência AFP, a cidade já convivia com problemas de infraestrutura e falta de planejamento urbano básico, incluindo para emergências.

Com cerca de 6,7 milhões de habitantes, a Líbia faz fronteira com países como Argélia, Egito e Tunísia. Desde a invasão do país por forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), em 2011, o país convive com conflitos internos, incluindo a disputa pelo poder por grupos rivais, e graves problemas sociais e de infraestrutura — o que dificulta ainda mais as ações de reconstrução e resgate das vítimas.

Essa é a segunda tragédia no norte-africano em poucos dias. Na sexta-feira (8), um terremoto de 6,7 graus atingiu o Marrocos, deixando quase 3.000 mortos.

Cidadãos de Derna, na Líbia, caminham em meio à cidade, após inundações, 11 de setembro de 2023 (Foto: AFP)Cidadãos de Derna, na Líbia, caminham em meio à cidade, após inundações, 11 de setembro de 2023 (Foto: AFP)

Líbia recebe ajuda internacional após catástrofe

O governo reconhecido pela ONU do premiê líbio, Abdelhamid Dbeibah, afirma que enviou ajuda à região de Derna, incluindo aeronaves e médicos. No âmbito internacional, diversos países, incluindo Egito, Tunísia, Estados Unidos, Turquia, Itália, Catar e França prometeram enviar ajuda humanitária à Líbia.

Equipes de resgate turcas, egípcias e também dos Emirados Árabes Unidos já estão no local. O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) anunciou o envio de ajuda humanitária para pelo menos 10.000 pessoas, com foco nas crianças atingidas.

Em nota, o Itamaraty lamentou a catástrofe na Líbia, mas não citou envio de ajuda ao país africano. “Ao se solidarizar com as famílias das vítimas, o governo brasileiro lamenta a destruição provocada pelas tempestades e transmite suas mais sinceras condolências ao povo líbio”, diz a nota da chancelaria brasileira.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano