Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Museu das Favelas tem programação em homenagem a mulheres

A mostra "Mulheres no Brasil, um caminho pela igualdade de direitos" é uma homenagem do Supremo para o Dia Internacional da Mulher
A imagem mostra duas mulheres negras celebrando. A programação especial do Mês da Mulher no Museu das Favelas contará com slam, exposições e apresentação de maracatu.

Foto: Reprodução/Museu das Favelas

8 de março de 2024

O Museu das Favelas, pertencente à Secretaria da Cultura, Economia e Indústria Criativas do Estado de São Paulo, anunciou para março uma programação marcada pela celebração do Dia Internacional da Mulher, comemorado nesta sexta-feira (8). Todas as atividades são gratuitas e acessíveis a todas as pessoas.

No sábado (9), às 14h, no Jardim, acontecerá o “Slam das Minas”, a primeira batalha poética com enfoque em gênero da cidade de São Paulo. O evento contará com a participação de artistas como Pam Araújo, Apêagá, Ibu Helena, Aflordescendente e Carolina Peixoto, e tem classificação indicativa de 12 anos.

Já no dia 16 de março, às 15h, na Instalação Visão Periférica, será realizado o evento “O Baile tá ON!”, que traz artistas da música periférica para ativar espaços expositivos do Museu das Favelas. O evento será transmitido ao vivo pelo canal do YouTube da instituição.

No dia 23 de março, às 14h, também no Jardim, acontecerá a “Festa de Favela”, com a participação do Maracatu Baque Atitude, seguido por um pocket show voz e violão com a cantora Luiza Akimoto. Durante o evento, haverá uma feira de empreendedorismo.

No dia seguinte, 24 de março, ocorrerá mais uma edição do “Pesquisa de Cria: Encontro de Saberes”. A atividade contará com a apresentação da dissertação de Juliana Bartholomeu, mestre em Ciências Sociais pela Unifesp, e será seguida por uma apresentação do Grupo Amigas do Samba.

Encerrando as atividades, no dia 30 de março, o Museu promoverá a exposição virtual “O Samba Merece um Palácio”, com curadoria e mediação do educador Weverton Camargo. A exposição busca resgatar e celebrar a história do samba paulistano, destacando sua importância cultural e social na identidade da cidade.

Além das atividades mencionadas, a exposição “Favela-Raiz: Uma Ocupação Manifesto” continua aberta ao público, apresentando cinco instalações internas e externas. Outras exposições em cartaz incluem “Retratos e Histórias de Cooperação e Voluntariado” e “Rap em Quadrinhos”.

Natália Cunha, diretora do Museu das Favelas, destaca: “A programação de março celebra e destaca o protagonismo das mulheres. Não apenas enriquecendo nossa diversidade, mas também iluminando os caminhos para um mundo onde todas as vozes são ouvidas e valorizadas. Do Baile ao Slam, do Maracatu ao samba, são muitas as conexões, formas e lugares possíveis para valorizar as mulheres das culturas e das favelas”.


Para mais informações, consulte o site oficial do Museu das Favelas.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano