Pesquisar
Close this search box.

De cria da Brasilândia à embaixatriz do samba paulistano: conheça a história de Maria Helena

Podcast da Alma Preta e Brasil de Fato estreou em 8 de fevereiro e conta a história de figuras importantes para a história do samba paulista
Na foto, Maria Helena, embaixatriz do samba paulista, posa sorridente em uma janela.

Foto: Revista Omenelick

8 de fevereiro de 2024

Preservar a arte e cultura ancestral do samba. Esse é o maior desejo de Maria Helena da Silva Brito, mais conhecida como Maria Helena, a Embaixatriz do samba paulista e entrevistada do podcast “Memórias do Batuque”

Com apresentação das jornalistas Camila Rodrigues e Luana Ibelli, o projeto visa não apenas fortalecer a memória do carnaval de São Paulo como também remontar os caminhos para o desenvolvimento da festa. O “Memórias de Batuque”, uma parceria entre a Alma Preta e o Brasil de Fato, estreou em 8 de fevereiro. 

Filha de um pernambucano sanfoneiro, Maria Helena nasceu em 1958, na zona norte de São Paulo, e viveu a sua infância cercada pelas manifestações culturais de matriz africana, entre elas, o samba, especialmente durante o carnaval

Cria da Vila Brasilândia, o segundo episódio do podcast conta que, naquela época, o bairro era marcado por um senso de comunidade atrelado ao samba. Por isso, a Embaixatriz do samba paulistano viu nascer de pertinho uma de suas maiores paixões: a Sociedade Rosas de Ouro.

Na escola, Maria Helena fez de tudo um pouco. Foi lá que conheceu seu marido, o compositor e sambista Waldir Dicá, e onde alcançou inúmeras alegrias, como o título de Cidadão e Cidadã Samba de São Paulo.

Em “Memórias de Batuque”, os ouvintes vão descobrir como a dedicação de uma vida toda de Maria Helena fez com que a Embaixatriz alcançasse um prestígio imenso na comunidade do samba, que através do seu amor pelo gênero, ensinou a importância de reconhecer, valorizar e aprender a cultura do samba

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos