Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Acusados de matar o congolês Moïse Kabagambe vão a júri popular

Os três homens estão presos desde o crime, em 2022; o julgamento ainda não tem data para acontecer
A imagem mostra o congolês Moïse Kabagambe vestindo a camisa do Flamengo. Ele foi assassinado ao cobrar uma dívida de trabalho no Rio de Janeiro.

Foto: Reprodução/redes sociais

17 de março de 2024

Um júri popular será responsável pelo julgamento dos acusados de matar o congolês Moïse Mugenyi Kabagambe, de 24 anos, em um quiosque da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, em 2022. Os réus estão presos preventivamente desde o crime por determinação da 1ª Vara Criminal do Rio de Janeiro. 

O julgamento de Fabio Pirineus da Silva, Aleson Cristiano de Oliveira Fonseca e Brendon Alexander Luiz da Silva ainda não tem data para acontecer. Os réus vão responder por homicídio doloso triplamente qualificado. Para a Justiça, os agravantes do crime foram o motivo fútil, o meio cruel e a impossibilidade de defesa da vítima. Eles permanecem detidos até a decisão para garantir a integridade física e psicológica das testemunhas do caso. 

Moïse trabalhava como cozinheiro de um quiosque do posto oito, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Segundo testemunhas, ele foi cobrar uma dívida de Brendon, dono do estabelecimento que prestou serviços sem receber. Ele foi derrubado pelo homem que deu início às agressões. 

O congolês, mesmo sem reagir, foi amarrado e espancado com um taco de beisebol, socos e chutes. O linchamento de Moïse envolveu dezenas de pessoas tanto por agressão como por omissão de socorro. Sua morte também é marcada pela exploração das relações de trabalho e do não cumprimento das leis trabalhistas no Brasil, principalmente após a reforma de 2017, no governo do ex-presidente brasileiro, Michel Temer (MDB).

  • Patricia Santos

    Jornalista, poeta, fotógrafa e vídeomaker. Moradora do Jardim São Luis, zona sul de São Paulo, apaixonada por conversas sobre territórios, arte periférica e séries investigativas.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano