Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Após 50 anos, USP concede diplomas a estudantes mortos na Ditadura Militar

A instituição afirmou que, ao todo, 33 estudantes serão homenageados
Imagem mostra soldados do exército durante Ditadura Militar.

Foto: Reprodução.

26 de dezembro de 2023

A Universidade de São Paulo (USP) homenageou os estudantes do Instituto de Geociências (IGc) Alexandre Vannucchi Leme e Ronaldo Mouth Queiroz, que foram mortos em 1973 durante a Ditadura Militar. A cerimônia aconteceu no último dia 15, no Saguão do IGc, e faz parte do projeto Diplomação da Resistência.

As diplomações póstumas são as duas primeiras entre as 33 que serão promovidas pela universidade, que tem o objetivo de reparar injustiças e honrar a memória dos estudantes.

Alexandre Vannucchi Leme era estudante de Geologia da USP, foi preso, torturado e morto por agentes do Destacamento de Operações de Informação – Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), departamento subordinado do Exército,  aos 22 anos.

Ronaldo Mouth Queiroz, também estudante de Geologia, era militante do movimento estudantil e presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da USP. Queiroz foi executado em um ponto de ônibus.
Em 2013, a universidade criou uma comissão da verdade que, em seu relatório final, concluiu que a Ditadura Militar foi responsável pela morte de 39 alunos, seis professores e dois funcionários da instituição.

  • Patricia Santos

    Jornalista, poeta, fotógrafa e vídeomaker. Moradora do Jardim São Luis, zona sul de São Paulo, apaixonada por conversas sobre territórios, arte periférica e séries investigativas.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano