Pesquisar
Close this search box.

Dez psicólogos negros que usam as redes sociais para falar de saúde mental

Em mais de um ano de pandemia, especialistas apontam que o uso das redes sociais pode aumentar a ansiedade; profissionais pretas e pretos usam esse espaço para falar sobre cuidados com a mente

Texto: Roberta Camargo | Edição: Nataly Simões | Imagem: @Klei_fotografia

Dez psicólogos negros que usam as redes sociais para falar de saúde mental

30 de março de 2021

Em mais de um ano de pandemia da Covid-19 a saúde mental da população negra se tornou ainda mais vulnerável. Com alto índice de desemprego, insegurança alimentar, dificuldade no acesso à vacinação e o convívio diário com o luto, profissionais da psicologia têm usado as redes sociais para conversar sobre os cuidados com a mente.

“A base para mim é a partilha. Falo sobre sonhos porque entendo que o ato de sonhar, falando de pessoas pretas, também é um ato político”, conta a psicóloga e produtora de conteúdo Mariana Reis. 

Alyne Siqueira, psicóloga e mãe, encontrou motivação para produzir conteúdo para internet a partir da falta de rede de apoio e do avanço da pandemia.  “Como não tem a questão da representatividade das mulheres negras nesse espaço, eu fui construindo a identidade visual da página nesse aspecto também. Olhar para as mulheres mães não é algo exclusivo de um público branco, classe média”, relata a profissional.

Consumo excessivo de informação gera ansiedade

Para o psicólogo Nelson Gentil, o mesmo espaço que traz convívio gera ansiedade. “As redes sociais nos ajudam a socializar, ainda que de forma virtual, com amigos, familiares. Ao mesmo tempo, elas podem gerar muita ansiedade, a partir do consumo de notícias”, aponta. “Nós sabemos a cor de quem mais morre de Covid-19 e é a nossa”, salienta o profissional, dando a dica de que é importante estabelecer uma rotina no consumo de notícias, para evitar danos maiores à saúde mental.

Com o objetivo de construir um ambiente seguro para a população preta, Mariana conta que o trabalho feito nas redes sociais tem permitido conexões significativas e desabafa: “Às vezes pessoas negras não sonham. A vida faz a gente acreditar que muitas coisas não são possíveis e isso é algo que gosto de falar, ainda mais agora que a gente tá meio perdido”.

Para estimular o diálogo sobre saúde mental da comunidade negra nas redes sociais, a Alma Preta selecionou 10 perfis de psicólogos pretas e pretos para acompanhar:

1. Mariana Reis

2. Alyne Siqueira

3. Nelson Gentil

4. Eilane Santos

5. Aisha Mariá

6. Ana Carolina Toledo

7. Jacqueline Vieira

8. Miriam Pereira

9. Michelle Carvalho

10. Samilly Valadares

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano