Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Exclusivo: Testemunha diz que PM é autor de disparo que matou mãe de 6 em Santos (SP)

Testemunha conversou de forma exclusiva com a Alma Preta e negou a versão oficial sobre a morte de Edneia Fernandes na Baixada Santista
A cabeleireira Edneia Fernandes, de 31 anos, mãe de seis filhos, morta com um tiro na cebeça em Santos, no litoral paulista, no dia 27 de março de 2024, durante ação da Polícia Militar

Foto: Reprodução/Acervo Pessoal

2 de abril de 2024

Na quarta-feira (27), a cabeleireira Edneia Fernandes, de 31 anos, mãe de seis filhos, foi morta com um tiro na cabeça em Santos, no litoral paulista. A morte ocorreu durante ação da Polícia Militar na região da praça José Lamacchia. 

Fernandes chegou a ser socorrida por moradores e levada à UPA Zona Noroeste. Ela morreu após transferência para a Santa Casa. Essa foi a 55ª morte na Baixada Santista desde o início da Operação Verão da PM, cujo fim foi anunciado na segunda-feira (1º). No total, a operação deixou 56 mortos.

A Alma Preta ouviu com exclusividade uma testemunha que afirma ter visto um policial militar disparando o tiro que matou Edneia e que contesta a versão oficial da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP).

‘Vi de forma muito nítida um policial apontando e atirando’

À Alma Preta, a testemunha conta que o fato ocorreu no final da tarde, por volta das 18h00. A vítima teria chegado ao local após ter ido buscar ovos de Páscoa para seus filhos com o marido e em seguida foi a uma costureira buscar uma saia — Fernandes era cristã e frequentava a igreja. Logo após isso, a mãe levou um dos filhos para cortar o cabelo e ao voltar para casa sentou-se na praça José Lamacchia.

Segundo a testemunha, a rua estava cheia de pessoas nesse horário, a maioria crianças. Poucos minutos após Edneia sentar-se na praça, uma moto surgiu acompanhada de três outras da Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam), da Polícia Militar.

“Vi de forma muito nítida um policial apontando e atirando. Quando ouvi o barulho, só deu tempo de levantar, olhar para trás e ver ela estendida”, relata a testemunha à Alma Preta, que em um primeiro momento achou que a vítima estava desmaiada. Os disparos geraram desespero nas pessoas do local, que inicialmente buscaram refúgio devido ao barulho de tiros.

Edneia Fernandes é descrita pela testemunha como uma mulher “espetacular” e dedicada ao trabalho. “Era sensacional, dedicava o tempo todo dela para a família, igreja. Ela trabalhava de casa e sempre tinha clientes na casa dela”, afirma. 

Imagem mostra uma viatura da Polícia Militar e uma bicicleta ao lado.
Imagem mostra uma viatura da Polícia Militar e uma bicicleta ao lado. (Paulo Pinto/Agência Brasil)

‘O disparo deles acertou Edneia’: testemunha contesta versão oficial

Ainda segundo o relato, os policiais deixaram a região sem prestar nenhum tipo de socorro à vítima, que continuava com vida e reagia aos chamados das pessoas no local. 

O relato confirma que os moradores protestaram e ofereceram socorro a Edneia, levando-a de carro à UPA Zona Noroeste, onde também estiveram viaturas da polícia. Diante da gravidade do quadro de Edneia, ela foi levada à Santa Casa para ser submetida a uma cirurgia de emergência.

A testemunha contesta a versão dos policiais de que houve troca de tiros entre a polícia e o condutor da moto que havia passado no local antes dos agentes de segurança. “O disparo deles acertou a Edneia”, diz, referindo-se aos policiais.

A Secretaria de Segurança Pública também afirmou que havia uma pessoa na garupa da moto em perseguição, informação refutada pela testemunha. “O motoqueiro estava sozinho”, conta.

O Secretário de Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite, durante sessão da Conseg, em Santos.
O Secretário de Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Derrite, durante sessão da Conseg, em Santos (Reprodução/SSP

Versão oficial é contestada em outros casos de violência na Baixada Santista

A Alma Preta tem acompanhado outros casos de violência na Baixada Santista em que os relatos dos familiares da vítima se chocam com os posicionamentos oficiais da polícia. Davi Gonçalves, jovem que trabalhava como entregador de colchão, foi morto pela polícia sob a alegação de estar armado, fato contestado pelos familiares e testemunhas.

Conflito de versões também houve no caso de Leonel Santos, um homem que se utilizava de muletas para caminhar. Ele foi acusado de atirar em agentes de segurança e morto durante expedição policial. Imagem obtida pela Alma Preta mostra o rapaz desarmado e sem o porte de drogas momentos antes da operação militar.

SSP alega troca de tiros e diz que investiga caso de Edneia

A versão da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) é de que a morte de Edneia ocorreu durante uma troca de tiros de policiais com dois homens na região.

“Na ocasião, policiais militares patrulhavam a região da praça José Lamacchia, em Santos, quando viram dois homens em uma moto em alta velocidade que ignoraram a ordem de parada dos policiais e atiraram cinco vezes contra a equipe, que interveio. Uma mulher, de 31 anos, foi atingida e socorrida por populares à UPA Zona Noroeste e, posteriormente, transferida para Santa Casa, mas não resistiu. Os criminosos conseguiram fugir. A motocicleta utilizada foi apreendida, assim como a arma do policial que disparou contra os suspeitos”, diz a secretaria.

A pasta também afirma que os “fatos são rigorosamente investigados pelo 5º DP de Santos e pela Polícia Militar, que instaurou um Inquérito Policial Militar (IPM). Exames periciais foram realizados, incluindo residuográfico, e, tão logo os laudos sejam concluídos, serão remetidos à autoridade policial para análise e esclarecimento do caso”. 

  • Pedro Borges

    Pedro Borges é cofundador, editor-chefe da Alma Preta. Formado pela UNESP, Pedro Borges compôs a equipe do Profissão Repórter e é co-autor do livro "AI-5 50 ANOS - Ainda não terminou de acabar", vencedor do Prêmio Jabuti em 2020 na categoria Artes.

  • Solon Neto

    Cofundador e diretor de comunicação da agência Alma Preta Jornalismo; mestre e jornalista formado pela UNESP; ex-correspondente da agência internacional Sputnik News.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano