Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Goleiro senegalês é vítima de racismo na Espanha e recebe apoio de Vini Jr

Cheikh Sarr foi expulso pelo juiz após discutir com agressor; jogador brasileiro expressou sua solidariedade nas redes sociais
Na imagem, o goleiro Cheikh Sarr, do Rayo Majadahonda.

Foto: Reprodução / Redes Sociais

3 de abril de 2024

O goleiro senegalês Cheikh Sarr, do Rayo Majadahonda, foi vítima de racismo durante uma partida da terceira divisão espanhola no final de semana (30), em Sestao, na Espanha. Durante o jogo, torcedores cantaram hinos racistas direcionados ao jogador.

Em resposta ao ataque, o goleiro foi até a torcida e confrontou o agressor, o que levou a sua expulsão. Os demais jogadores do Rayo saíram do campo em respeito ao goleiro. O jogo contra o Sestao River Club foi suspenso pelo juiz aos 45 minutos do segundo tempo.

Nas redes sociais, o brasileiro Vinícius Jr. manifestou solidariedade ao caso. O jogador, que também foi alvo de ataques racistas em campo, expressou todo seu apoio ao goleiro e também ao time.

“Só teremos vitória quando os racistas saírem dos estádios direto para a cadeia, lugar que merecem”, comentou Vini Jr. em publicação no X (antigo Twitter).

Em entrevista à rádio espanhola Cadena Cope, Cheikh agradeceu o apoio de Vini Jr. e comentou que o brasileiro é inspiração na luta antirracista do futebol.

“Estou ao lado dele até o fim. Porque ele também passou por isso várias vezes, e quando acontecia eu pensava ‘Isso não é normal’. Chega de racismo… não tem lugar no esporte. Não faz sentido”, afirmou Sarr.

  • Verônica Serpa

    Graduanda de Jornalismo pela UNESP e caiçara do litoral norte de SP. Acredito na comunicação como forma de emancipação para populações tradicionais e marginalizadas. Apaixonada por fotografia, gastronomia e hip-hop.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano