Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Jovem empreendedora faz sucesso com peças que referenciam a cultura africana

Ela iniciou do zero o sonho de empreender e em 2023 seu negócio completou seus anos de história, com direito à comemoração nas telonas do país

Texto: Redação | Foto: Divulgação

Imagem mostra a jovem empreendedora Juliana. Ela é negra, tem cabelos cacheados e segura uma bolsa com estampa afro em frente ao seu rosto.

Foto: Foto: Divulgação

30 de agosto de 2023

Diretamente da zona norte do Rio de Janeiro, uma marca de acessórios emerge do esforço de uma jovem empreendedora de 25 anos, que sempre sonhou em comandar a própria empresa. A Negaju é o sonho da Juliana Neves, que batalhou incansavelmente para abrir um negócio com seu próprio nome estampado. Hoje o sonho dessa jovem mulher batalhadora eleva a autoestima de milhares de outras mulheres fortes, através de bolsas e acessórios vendidos online.

Impulsionada por seus objetivos, aos 15 anos de idade, Juliana Neves começou a trilhar o caminho que a levaria até as realizações de hoje, por meio de cursos e orientações. Em 2017 a jovem deu o pontapé inicial para tirar esse sonho do papel. Optando por acessórios afro, a então nova empreendedora do mercado buscou fornecedores para assim dar início a jornada, mas este início não foi nada fácil.

“Nenhum começo é fácil e com a gente não foi diferente. No meu primeiro evento vendi um brinco, mas voltei para casa na esperança de que as coisas fossem melhorar. Em uma busca na internet por um evento afro, conheci o projeto ‘Criolice’ e esse foi o nosso pontapé inicial. Vendi mais de 20 brincos e consegui comprar mais para vender online. Foram três anos vendendo apenas brincos e me dedicando a carreira publicitária ao mesmo tempo. Sempre precisei ser minha própria investidora, mas em meados de 2019 a empresa chega no negativo, a fornecedora para de produzir os brincos e não devolve o valor que foi dado para produção”, conta Juliana.

Porém, as dificuldades não desencorajaram a jovem que dali em diante receberia a ajuda da mãe. Irani Neves, agora também sócia da Negaju, é uma mulher negra retinta, com mãe lavadeira e pai servente. Criada no subúrbio do Rio de Janeiro, em Bento Ribeiro, a psicóloga aposentada sempre acreditou no sonho da filha, de empreender e após mais de 20 anos trabalhando na sua área de formação, se reinventou como artesã. Irani aprendeu a confeccionar brincos assistindo vídeos em canais do YouTube e para criar as bolsas, bastou um dia de curso e muito treino para colocar tudo em prática.

Com o objetivo de elevar a autoestima das clientes, revelando o que há de mais bonito em cada uma, as peças da Negaju são produzidas em um processo totalmente artesanal, sempre resgatando a cultura africana no Brasil, através de formas e cores. A idealizadora da marca falou um pouco mais sobre a criação das peças.

“Buscamos sempre inovar em nossos produtos com objetivo de proporcionar modelos exclusivos para as nossas clientes. As bolsas são feitas com técnica de cartonagem e costura, sempre nos inspiramos nas tendências das estações do ano e estampamos com tecidos étnicos” explica a jovem empreendedora.

Seis anos de história

Em 2023 a Negaju completa seis anos e em grande estilo, isso porque em dezembro as peças da marca poderão ser vistas nas telas de cinema por várias partes do Brasil, no filme “Apaixonada aos 40”, estrelado por Giovanna Antonelli. A produção do longa-metragem entrou em contato para convidar a marca para participar da construção visual de uma personagem, interpretada pela atriz, Polly Marinho, que será melhor amiga de Giovanna Antonelli no filme.

Produtos da marca da jovem empreendedora aparecerão em filme, que estreia nos cinemas brasileiros em setembro. | Foto: DivulgaçãoProdutos da marca de Juliana Neves aparecerão em filme, que estreia nos cinemas brasileiros em dezembro. | Foto: Divulgação

Ao longo desses anos, Juliana e Irani precisaram se adaptar a tantas mudanças e para isso buscaram cada vez mais conhecimento, por meio de cursos sobre Ecommerce, financeiro, marketing e tudo o que pudesse agregar a essa nova fase da marca. Consequência disso foi o crescimento da empresa nas redes sociais. O Instagram, que antes tinha 2 mil seguidores, cresceu e hoje tem quase 22 mil seguidores fixos. Juliana Neves falou mais sobre esse processo.

“A partir dos brincos, também investimos nas bolsas e foi um sucesso. Em plena pandemia, montamos nosso ateliê em casa, para conseguir dar conta da demanda. Nas redes sociais tivemos muitos vídeos viralizados, chegando a 64 mil de alcance. Com as vendas aumentando também tivemos que buscar o auxílio de costureiras maravilhosas que ajudam a nossa produção mensalmente”, recorda a empreendedora.

Esse auxílio que Juliana menciona vem das duas costureiras parceiras, que hoje fazem parte do que antes era apenas um grande sonho de Juliana, que não desistiu na dificuldade e hoje pode ver os frutos de seu empenho e dedicação.

“Ver outras empresas falirem não me desanimou, pelo contrário, só me deu mais ânimo para ter uma empresa de sucesso. A Negaju vai fazer 6 anos esse ano e eu tenho orgulho de toda minha trajetória. Comecei sozinha, deixando entregas nas estações de trem e correios. Por três anos eu me dividi em faculdade, estágio e loja. Não tive ninguém para investir um valor alto nesse sonho, então a busca pela minha formação como publicitária foi necessário para que eu tivesse dinheiro e conseguisse investir no crescimento saudável do meu negócio”, finaliza.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano