Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Mais de 67 mil pessoas já foram afetadas pelas chuvas no RS; deputado cita negligência

Pelo menos 147 prefeituras já fizeram alertas de alagamentos, deslizamentos de terras e bloqueio de estradas no estado; 13 mortes foram confirmadas
Uma equipe de bombeiros trabalha em uma rua inundada no centro da cidade de São Sebastião do Caí, Rio Grande do Sul, Brasil, em 2 de maio de 2024.

Foto: Anselmo Cunha/AFP

2 de maio de 2024

Na quarta-feira (1º), o governo do Rio Grande do Sul afirmou que a destruição causada pelas chuvas que atingem o estado prenunciam o “maior desastre da história” gaúcha em termos de prejuízo material.

De acordo com o balanço da Defesa Civil estadual, os temporais já causaram 13 óbitos e deixaram ao menos 12 pessoas feridas. Ao menos 21 pessoas estão desaparecidas. Mais de  67,8 mil pessoas foram afetadas em todo o estado. Destas, 9.993 estão desalojadas e buscaram abrigo na casa de parentes, amigos ou em hospedagens. Outras 4.599 que não tinham para onde ir estão alojadas em abrigos públicos

Até o momento, 147 prefeituras já reportaram ao governo estadual que foram de alguma forma afetadas por alagamentos, transbordamento de rios, deslizamentos ou outras consequências da situação.

A Defesa Civil do estado informou que famílias que moram na região de Cotiporã estão sendo retiradas do local em decorrência do rompimento da barragem 14 de julho. Em um comunicado, a instituição fez um alerta a população dos municípios de São Francisco de Paula, Canela, Gramado, Nova Petrópolis, Vale Real e Feliz para que deixem as áreas consideradas de risco e procurem abrigos.

A instituição tem feito alertas sobre as condições do Rio Caí, que “recebeu expressivos volumes em razão das fortes chuvas dos últimos dias no Estado e está ultrapassando extraordinariamente sua cota de inundação”. 

Denúncia de negligência do governo estadual

O deputado estadual Matheus Gomes (PSOL) tem usado as redes sociais para atualizar a situação dos municípios e para denunciar a falta de investimento e políticas públicas para evitar que as consequências das fortes chuvas não tomassem proporções tão grandes.

Segundo ele, o investimento financeiro para o setor responsável defesa civil do estado foi de apenas R$ 50 mil. Durante uma entrevista coletiva, o governador Eduardo Leite (PSDB) informou que foram investidos R$ 115 milhões no setor, o que foi refutado pelo deputado. Segundo Gomes, o montante inclui o orçamento de outros setores.

Auxílio às periferias de Porto Alegre

Na quarta-feira (1º) foi aberto o 2º Fórum Social das Periferias de Porto Alegre. Organizado por lideranças comunitárias e militantes de base, o evento prossegue até domingo (5), com debates e atividades descentralizadas em diversos bairros periféricos da capital gaúcha.

Por conta das fortes chuvas que atingiram o bairro Rubem Berta (RS), a caminhada que daria início ao fórum foi cancelada e a abertura do evento foi feita de forma virtual.  

A coordenadora do Movimento Nacional de Luta pela Moradia RS (MNLM-RS), Ceniriani Vargas da Silva, em entrevista publicada pelo Brasil de Fato que a segunda edição do evento pretende dar voz e vez aos moradores das periferias da cidade, que costumam ser mais afetadas por eventos climáticos. Essas pessoas puderam levar as demandas e as necessidades de território em busca de melhores condições e organização coletiva para a transformação da realidade das pessoas que vivem em áreas afastadas.

  • Patricia Santos

    Jornalista, poeta, fotógrafa e vídeomaker. Moradora do Jardim São Luis, zona sul de São Paulo, apaixonada por conversas sobre territórios, arte periférica e séries investigativas.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano