Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Moda: coleção ‘Eu também sou um anjo’ conecta o urbano e ancestralidade negra

Desenvolvida por Ayomi Domenica, a coleção tem inspirações em música, teatro e artes cênicas
Imagem mostra modelos negros e negras após desfile de moda.

Foto: Agência Fotosite

15 de dezembro de 2023

O desfile que apresentou a coleção “Eu também sou um anjo”, desenvolvido pela Yebo, uma marca de streetwear feminino, contou com peças que conectam o urbano com o imaginário celestial. A performance aconteceu no domingo (12) e teve modelos negros e negras vestindo as roupas criadas pela fundadora e diretora criativa da marca Ayomi Domenica. 

Após uma pausa no desenvolvimento de novos modelos, a criadora ressurgiu, em parceria com a empresária Eliane Dias, mais aberta a novas experiências e falou com exclusividade à Alma Preta Jornalismo sobre o processo criativo da coleção. 

“O processo é muito solitário. Fico estudando e pesquisando sozinha e  começa a ser divertido, de fato, a hora que eu consigo compartilhar com as pessoas e aquilo vai fazer sentido para elas. E, de fato, se concretiza, quando a gente realiza todo o planejamento na passarela”, contou a artista.

Para chegar ao resultado apresentado nas passarelas, Ayomi se aprofundou nos estudos e pesquisas sobre Jorge Ben e suas obras e manteve o compromisso de inspirar outras linguagens como música, teatro e artes visuais. 

“O que eu faço na marca é deixar com que todas as inspirações me influenciem e que nada seja desperdiçado. Eu vou sempre buscar referências de diversas fontes e trago isso para moda. Aqui eu estou unindo as diversas linguagens com as quais eu trabalho”, contou.

O desfile contou ainda com a presença de Mano Brown, pai de Domenica, que falou sobre o sentimento em vê-la concretizar uma nova coleção.

“Eu fico orgulhoso. A gente sempre vê o filho da gente como um bebê. Eu fico acompanhando e às vezes eu não acredito que aquele bebê está fazendo esse monte de coisas, conversando com as pessoas, criando e dividindo opinião, falando, organizando. O tempo passou, é muito louco, né? E curti bastante o trabalho dela, ela é muito detalhista, eu vejo muito de mim nela, em relação aos detalhes, de querer sempre passar uma mensagem, mas eu vejo uma determinação nela que eu já não tenho. Uma insistência, uma perseverança, eu acho que isso ela já herdou da mãe”, afirmou o rapper.

  • Patricia Santos

    Jornalista, poeta, fotógrafa e vídeomaker. Moradora do Jardim São Luis, zona sul de São Paulo, apaixonada por conversas sobre territórios, arte periférica e séries investigativas.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano