Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Professor Helio Santos receberá título de doutor honoris causa da UFBA

A cerimônia no Salão Nobre da Reitoria também marca o lançamento do livro sobre Helio Santos, uma das vozes mais proeminentes na defesa da política de cotas
O economista Helio Santos fala durante 10º Fórum Brasileiro de Filantropos e Investidores Sociais, em novembro de 2021.

Foto: André Porto

11 de dezembro de 2023

Na sexta-feira (11), às 10h, o Salão Nobre da Reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA) será palco da entrega do título de doutor honoris causa ao professor e economista Helio de Souza Santos. A cerimônia também marca o lançamento do livro “Quem é Helio Santos?“, que retrata a vida de uma das vozes mais proeminentes em prol da política de cotas no Brasil.

O evento é organizado pelo Instituto de Humanidades, Artes e Ciências Professor Milton Santos (IHAC/UFBA) e pela Faculdade de Direito da UFBA, com apoio do Mercafro.

Em publicação nas redes sociais, Helio Santos convidou seus admiradores para participar da cerimônia e expressou a sua emoção ao receber a honraria. O convite sugere o uso do traje branco para harmonizar com a sexta-feira.

“Nunca teria alcançado este reconhecimento sem o apoio dos meus alunos, amigos, colegas de trabalho, organizações negras, e tantos outros. Juntos, contribuímos para o avanço do ensino, da ciência, tecnologia e cultura em nosso país”, disse. 

Distinção máxima concedida por uma universidade, o título de Doutor Honoris Causa é entregue a personalidades nacionais e estrangeiras cuja contribuição para o desenvolvimento das ciências, das letras ou das artes seja considerada de alta relevância para o país ou para a humanidade, segundo a instituição.

Quem é Helio Santos? 

Mineiro de Belo Horizonte, Hélio Santos é escritor, pesquisador e doutor em Administração pela FEA-USP e hoje mora em Salvador, onde leciona no programa de mestrado em Desenvolvimento Humano da Fundação Visconde de Cairu.

Autor de “Brasil de Carne e Osso”, o professor iniciou a carreira de ativista nos anos 1970, em São Paulo. Em 1984, participou da fundação da primeira iniciativa do estado brasileiro para trabalhar a questão do negro no pós-Abolição, sendo o presidente fundador do Conselho da Comunidade Negra do Estado de São Paulo, que ainda se encontra em atividade.

O órgão pioneiro induziu diversas iniciativas semelhantes em todo o país, e a partir disto, surgiram as primeiras políticas públicas voltadas para a correção das desigualdades históricas da população negra nas áreas educacionais e do mercado de trabalho.

Nos anos 1990, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, o militante da luta antirracista coordenou um Grupo de Trabalho Interministerial (GTI). O órgão foi criado em 20 de novembro de 1995, após a Marcha Zumbi dos Palmares, com objetivo de promover políticas para “a valorização da população negra”.

Mestre em Finanças e doutor em Administração pela Faculdade de Economia e Administração da Universidade de São Paulo (USP), o economista lecionou em diversas instituições como PUC-Campinas e Universidade São Marcos no estado de São Paulo. Atualmente, leciona na Fundação Visconde de Cairu (Salvador) no mestrado em Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social.

Além de fundador, Helio Santos ocupa o cargo de diretor-presidente do Instituto Brasileiro da Diversidade (IBD), organização sem fins lucrativos voltada para o desenvolvimento da diversidade no mercado de trabalho. Ele também preside o Conselho Deliberativo do Fundo Baobá, entidade voltada para o fortalecimento das organizações que trabalham pela equidade racial no país.
Entre as suas obras estão diversos artigos acadêmicos e ensaios jornalísticos sobre o desenvolvimento sustentável e políticas públicas de inclusão. Ele também escreveu livros como “A busca de um caminho para o Brasil” (2001) e “O homem lésbico” (2011).

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano