Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Líderes afrorreligiosos discutem tombamento de coleção sagrada

A Coleção Perseverança é composta por objetos sagrados que resistiram ao Quebra de Xangô de 1912
A imagem mostra o encontro entre afrorreligiosos pelo MPF, na última segunda-feira (26). Na ocasião, foi discutido o tombamento federal da Coleção Perseverança.

Foto: Comunicação/MPF

2 de março de 2024

O Ministério Público Federal (MPF) promoveu uma reunião com líderes afrorreligiosos em Maceió, Alagoas, para discutir o processo de tombamento federal da Coleção Perseverança. Composta por objetos sagrados que resistiram à Quebra de Xangô de 1912, a coleção tem grande valor histórico e cultural para as comunidades de terreiro.

O encontro, liderado pelos procuradores da República Eliabe Soares, Juliana Câmara e Érico Gomes, contou com a presença de representantes da Casa Ilé N´Ifé Omi Omo Posú Betá, do Centro Espírita Santa Bárbara e da Casa de Iemanjá, além de outras casas do interior de Alagoas. Também estiveram presentes órgãos como o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), o Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas (IHGAL) e diversas secretarias estaduais.

O IPHAN apresentou o parecer técnico do tombamento, destacando a importância de uma gestão compartilhada do acervo para preservar sua relevância histórica e sagrada, garantindo o acesso das comunidades de terreiro. O MPF ressaltou em nota a importância de representantes afrorreligiosos para valorizar e esclarecer a origem dos objetos sagrados, permitindo que as comunidades possam cultuá-los e expressar sua fé.

Como encaminhamento, ficou estabelecido que um grupo de trabalho formado pelo IPHAN indicará, em 30 dias, os representantes religiosos que farão parte do Comitê de Gestão Compartilhada da Coleção Perseverança, junto com representantes do IHGAL, secretarias de Estado da Cultura e Igualdade Racial, e o próprio MPF. Além disso, será formatada uma proposta de audiência pública para aproximar as comunidades de terreiro do instituto e do acervo.

A Secretaria Estadual da Cultura apresentará o processo de tombamento estadual, concluído em 2013, como parte das solenidades que levaram ao pedido formal de desculpas pelo Estado de Alagoas às comunidades de terreiro, em reconhecimento aos eventos do Quebra de 1912.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano