Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Mulheres trans negras são premiadas na CCXP Awards

A multiartista Liniker e a streamer Sher Machado, levaram para casa o troféu da primeira edição da CCXP Awards nas ‘Melhor Atriz de Séries de TV’ e ‘Melhor Streamer Feminina’, respecivamente

A imagem mostra a multiartista Liniker, em vestido preto e usando óculos escuros, segurando o prêmio ao lado da streamer Sher Machado, que usa coque de tranças e uma blusa decotada branca

Foto: Imagem: Reprodução/Instagram

18 de julho de 2022

Duas mulheres trans negras foram destaques ao vencerem categorias da CCXP Awards, premiação que aconteceu em São Paulo, na última semana. A multiartista Liniker e a streamer Sher Machado, levaram para casa os troféus das categorias ‘Melhor Atriz de Séries de TV’ e ‘Melhor Streamer Feminina’, respectivamente.

Em sua primeira edição, a premiação coroou as melhores obras nacionais e internacionais nas categorias: filmes, séries, quadrinhos, games & eSports, creators e literatura. Os finalistas foram escolhidos por um comitê de especialistas, que contou com a ajuda do público para definir quais seriam os vencedores. Ao todo, o evento entregou 32 troféus.

Detentora de um dos ‘Dragões’ – símbolo que representa o evento e é dado em forma de honraria – a multiartista Liniker levou para a casa a premiação por interpretar, na série ‘Manhãs de Setembro’ (Prime Video), a personagem Cassandra, uma mulher trans que deixou sua cidade natal determinada a ser livre e viver com independência, mas é confrontada por um filho que teve no passado. Em entrevista ao portal Gshow, ela reafirmou o seu compromisso com a arte e a disponibilidade em experimentá-la em diferentes formatos.

“Não estou com as portas fechadas. Não sou só da música, não sou só do cinema, não sou só do desenho, não sou só da composição. A arte é um movimento de história aberta”, afirmou.

Outra premiada foi Sher Machado, também conhecida como ‘Transcurecer’ nas redes sociais, que recebeu o prêmio de ‘Melhor Streamer Feminina’. Ela é a primeira streamer trans da INTZ – uma das principais equipes de eSports do Brasil – e foi responsável por organizar o primeiro campeonato no cenário competitivo de ‘League of Legends’, um jogo de sucesso internacional, para pessoas trans.

Leia também: Pensadora trans pernambucana ministra aula em escola internacional de feministas negras

Após receber o prêmio, em publicação em sua página em rede social, Sher revelou que não estava esperando vencer na categoria e desejou que outras mulheres trans e travestis e pessoas negras sejam reconhecidas pelos seus trabalhos. 

“Eu não estava botando fé que iria ganhar. Todos os dias eu repito pra mim mesma que sou incrível, maravilhosa e que mereço tudo o que vem acontecendo. Me pergunto o porque as pessoas gostam de mim e acompanham o meu conteúdo. Minha amiga me proibiu de desacreditar de mim, então eu só vou comemorar e aceitar que eu ganhei e foi porque eu mereço! Quero um dia poder ver muitas outras travestis e pessoas negras dentro dessas premiações e também levando o troféu pra casa! Vamos continuar correndo atrás de entregar o nosso melhor”, declarou. 

Além de Liniker e Sher, a atriz trans Renata Carvalho também venceu uma das categorias, recebendo o prêmio de ‘Melhor Atriz em Filmes’ pela sua interpretação no longa-metragem ‘Vento Seco’. Na trama, a atriz assume o papel de Paula, uma mulher cisgênero, que é a melhor amiga de um dos personagens pricinpais e se apresenta como sindicalista. 

Em publicação feita em seu perfil em rede social, Renata destacou a importância de vencer o prêmio com outra travesti a qual acompanha sua carreira, a Liniker. 

“Que felicidade receber esse prêmio junto com outra travesti em uma premiação tão importante. A mudança está acontecendo de forma lenta e gradual mas constante”, comemorou.

Ainda na premiação, outros artistas negros foram homenageados como grandes nomes atuais da cena de entretenimento no Brasil. O ator Christian Malheiros venceu na categoria ‘Melhor Ator de Série de TV’, pelo personagem Nando, em ‘Sintonia’, série produzida pela produtora KondZilla em parceria com a Netflix. Na categoria Filmes, Seu Jorge também levou para casa o troféu de ‘Melhor Ator’, pelo protagonismo no longa-metragem ‘Marighella’, obra em que interpreta um dos maiores líderes políticos contra a ditadura militar brasileira. 

Leia mais: Afrotransfeminismo e a necessidade de quilombos de afeto para travestis negras brasileiras

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano