Pesquisar
Close this search box.

Lei de incentivo às Batalhas de Rima é sancionada no Rio de Janeiro

Segundo a nova legislação, cabe ao governo do estado fomentar as culturas do hip-hop e do rap
A foto mostra dois jovens se enfrentando em uma batalha de rima.

Foto: Reprodução / Alerj

25 de maio de 2024

O governo estadual do Rio de Janeiro sancionou uma legislação que visa impulsionar a cultura do hip-hop e do rap. De autoria da deputada estadual Dani Monteiro (PSOL-RJ), o Programa Estadual de Batalhas Educacionais de Rima pretende estimular a admiração da juventude pela cultura e incentivar o estudo da língua portuguesa.

De co-autoria do deputado estadual Andrezinho Ceciliano (PT), o projeto contou com a participação do coletivo Batalha do Forte, que ocorre na cidade de Cabo Frio (RJ), para ser elaborado.

Com a Lei 10.384/24, o governo poderá atuar na promoção de ações de formação, capacitação e divulgações ligadas ao Rap, como cursos instrucionais de lírica e atividade que visem a discussão e o debate de políticas públicas para a juventude e para o movimento hip-hop.

Também caberá ao estado a promoção e o patrocínio das batalhas de rima, que devem ocorrer uma vez por mês durante todo o ano. As secretarias de Estado de Cultura e Economia Criativa e de Educação deverão ceder espaços ou unidades escolares para a realização dos eventos.

Para integrar o programa, as rimas utilizadas não podem conter apologia às drogas, ao crime, comentários pejorativos ou quaisquer outras desconformidades aos padrões de ética dos permissivos legais.

“Desde o início do movimento Hip-Hop nos Estados Unidos, a batalha de rima se instaurou não como um movimento pejorativo, onde há um ataque direto à outra pessoa, mas como um ambiente que estimula o raciocínio rápido e desenvolvimento intelectual e social do participante”, explica Dani em comunicado à imprensa.

Não é a primeira vez que a deputada se manifesta a favor da cultura hip-hop. No último ano, Dani criou o PL 1073/2023, que institui a iniciativa “Hip-Hop nas Escolas”. O objetivo é inserir elementos dessas culturas no cotidiano dos estudantes, promovendo a produção de arte no ambiente escolar.

  • Verônica Serpa

    Graduanda de Jornalismo pela UNESP e caiçara do litoral norte de SP. Acredito na comunicação como forma de emancipação para populações tradicionais e marginalizadas. Apaixonada por fotografia, gastronomia e hip-hop.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano