Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

MIR anuncia R$ 9 milhões para combate à intolerância religiosa e preservação ambiental

Comunicado foi realizado durante as comemorações da festa de Yemanjá, em Salvador
Na foto, representantes do Ministério da Igualdade Racial celebram Yemanjá em Salvador.

Foto: Juliana Romão/MIR

2 de fevereiro de 2024

O Ministério da Igualdade Racial (MIR) anunciou um investimento de R$ 9 milhões em cinco editais destinados à proteção e fortalecimento dos povos de terreiro de matriz africana em 2024.

O comunicado foi realizado durante as comemorações da festa de Yemanjá em Salvador BA), no tradicional 2 de fevereiro, pela secretária-executiva do ministério, Roberta Eugênio. A previsão é que esses editais sejam lançados nos meses de abril e maio.

Na comitiva do MIR, também estavam o diretor de Políticas de Combate e Superação do Racismo, Yuri Silva; a diretora de Políticas para Povos e Comunidades Tradicionais de Matriz Africana e Povos de Terreiro, Luzi Borges; e a diretora de Ações Governamentais, Ana Míria Carinhanha, que compareceram à celebração a convite do governador Jerônimo Rodrigues e da secretária Estadual de Igualdade Racial e Povos e Comunidades Tradicionais, Ângela Guimarães.

A iniciativa visa promover o reconhecimento das práticas, defender o meio ambiente, combater o racismo ambiental, transmitir os saberes tradicionais, fortalecer o empreendedorismo negro e gerar renda por meio da valorização desses conhecimentos ancestrais. Além disso, inclui também a realização de um encontro nacional de juventude de terreiros.

“Ao celebrarmos o Dia de Yemanjá, honramos não apenas a divindade, mas também a vitalidade da cultura dos povos de matriz africana e de terreiros e sua importância para história, cultura e valorização de saberes ancestrais“, destacou Roberta Eugênio.

A secretária executiva também enfatizou a prioridade do Ministério da Igualdade Racial em promover a preservação, valorização e a liberdade de exercer a própria fé. “Há economia, preservação do meio ambiente e da história e cultura negra, dentro dos terreiros. É para além da fé, é defesa da vida em sua plenitude, pelos saberes ancestrais”, pontuou.

A celebração de Yemanjá se destaca como uma das festas mais renomadas no ciclo de verão da capital baiana. É a única entre as grandes “festas de largo” que dedica sua celebração de forma proeminente a uma única divindade do candomblé: o Orixá Yemanjá. Reconhecida como mãe dos oceanos e mares, senhora das águas salgadas, Yemanjá é considerada Iyá Ori, responsável pelo equilíbrio mental como mãe das cabeças.

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano