Pesquisar
Close this search box.

Sonia Guajajara vai presidir fundo indígena latino-americano

O anúncio foi realizado durante a XVII Assembleia Geral, em Caracas, na Venezuela
A ministra Sonia Guajajara, ao centro, celebra o cargo de presidente do Filac, junto a outros membros da organização.

Foto: Ascom / MPI

3 de junho de 2024

A ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara, foi eleita presidente do Conselho Executivo do Fundo para o Desenvolvimento dos Povos Indígenas da América Latina e Caribe (Filac). O anúncio foi realizado na semana passada durante a XVII Assembleia Geral, em Caracas, na Venezuela. Essa é a primeira vez que um representante brasileiro vai presidir o fundo, que possui 32 anos de existência.

Formado pelos países da América Latina e também por Portugal, Espanha e Bélgica, a entidade promove o apoio e o desenvolvimento de 826 povos indígenas latino-americanos, uma população estimada em 58,2 milhões de pessoas.

Sob o tema “Rumo a um novo diálogo intercultural para a vida a partir da sabedoria dos povos indígenas”, delegações indígenas e governamentais dos países Brasil Bolívia, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, Espanha, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, Uruguai e Venezuela participaram das reuniões preparatórias que nortearam as deliberações da Assembleia Geral.

Além de Guajajajra, foram nomeadas como vice-presidente a representante governamental da Espanha, Laura Oroz, e a representante indígena da Nicarágua, Myrna Cunningham Kain.

Os membros do Conselho Diretivo da FILAC também foram no congresso, com seis representações governamentais (Brasil, Venezuela, Peru, Guatemala, Panamá e Espanha) e seis representações de organizações indígenas (Chile, Colômbia, Costa Rica, México, Nicarágua e Uruguai).

“Vamos nos unir como diretoria do FILAC por meio de um processo de diálogo, cooperação e tomada de decisões conjuntas. Essa colaboração é essencial para garantir que as políticas e ações do fundo sejam equitativas, inclusivas e alinhadas com as necessidades e aspirações dos povos indígenas na América Latina e no Caribe”, afirmou Sonia Guajajara. 

Para a nova presidente, “a colaboração entre representantes de governos e indígenas na diretoria do Filac vai permitir a construção de um futuro justo, sustentável e inclusivo para todos”.

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano