Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Feira das Yabás: primeira edição de 2024 celebra música e gastronomia negra carioca

Localizado na zona norte do Rio de Janeiro, evento preserva a influência africana na cultura brasileira
Imagem mostra o público presente na Feira das Yabás diante do palco principal do evento.

Foto: Reprodução

9 de janeiro de 2024

Encontro de samba e de culinária típica do subúrbio carioca, a Feira das Yabás é um evento que celebra a cultura afro-brasileira, tendo como pano de fundo as barracas de comidas típicas de personalidades das escolas de samba do Rio de Janeiro.

Idealizada pelo cantor e compositor Marquinhos de Oswaldo Cruz em 2009, a feira que mistura música e gastronomia afro-brasileira acontece todo segundo domingo do mês, na Praça Paulo da Portela, em Oswaldo Cruz, bairro da zona norte do Rio de Janeiro. A primeira edição de 2024 está prevista para o dia 14 de janeiro. 

Yabá, que quer dizer Mãe Rainha, é o termo utilizado no Brasil para definir todos os orixás femininos. No bairro sede das tradicionais escolas de samba Portela e Império Serrano, Yabá faz referência às matriarcas das famílias da região, que preparam os pratos que preservam a influência africana na cultura brasileira.

Impulsionado pelo som de jongo, chorinho e samba, em 2022 o evento recebeu o título de patrimônio cultural e imaterial do Rio de Janeiro, pela Câmara Municipal. A honraria eternizou os pratos típicos da festividade, como mocotó, vaca atolada, quibebe com carne seca e outros quitutes preparados por nomes de respeito como Dona Neném, baluarte da Portela, Tia Vicentina e Dona Sueli.

No início, a feira realizava pequenas apresentações dos organizadores e de outros convidados musicais, mas com o tempo diversas famílias passaram a se reunir para confraternizar a sua negritude. O espaço também luta pela preservação da memória do lugar e a representatividade ancestral que o evento proporciona

Atualmente, a Feira das Yabás proporciona mais de 350 empregos em profissões como músicos, carregadores, entre outros trabalhadores, além do impacto positivo nos bares locais que se beneficiam do movimento gerado pelo evento.

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano