Pesquisar
Close this search box.

Rio de Janeiro recebe exposição sobre recortes da vida e luta quilombola

O lançamento contará com a presença de lideranças e representantes de instituições ligadas ao tema
Imagem mostra a fachada do Centro Cultural Justiça Federal.

Foto: Reprodução

7 de junho de 2024

O Centro Cultural Justiça Federal (CCJF), em parceria com a Comissão de Direitos Sociais e Interlocução Sociopopular da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB RJ), inaugura neste sábado (8) a mostra fotográfica Recortes da vida e luta quilombola no Rio de Janeiro, do fotojornalista AC Junior.

A exposição gratuita aborda a cultura ancestral dos quilombos, os modos de ser e viver da população quilombola, além da urgente discussão sobre a realidade dessa comunidade. O lançamento, previsto para às 15 horas, contará com a presença de lideranças quilombolas do estado e representantes de instituições ligadas ao tema. 

Ocupando a Galeria de Fotografia do CCJF, no 1º andar do prédio, o trabalho é um retrato das manifestações sociais, culturais e políticas de quilombolas do estado que lutam pelos seus direitos à terra e à sociabilidade. 

O lançamento de Recortes da vida e luta quilombola no Rio de Janeiro no CCJF contará com a presença de lideranças quilombolas do estado e representantes de instituições ligadas ao tema. A exposição fica até dia 13 de julho de 2024 no CCJF. O horário de funcionamento ao público é de terça-feira a domingo, das 11h às 19h.

Segundo o Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com dados de 2022, o estado possui mais de 20 mil quilombolas, que vivem em 37 dos 92 municípios do Rio de Janeiro. Desses, 2.866 são da capital. 

A Comissão de Direitos Sociais e Interlocução Sociopopular da OAB RJ também enfatiza que, apesar do reconhecimento constitucional e legal dos quilombolas, poucas comunidades tiveram os territórios demarcados, situação classificada como “um inexorável desserviço do Estado aos afrodescendentes” pelo comitê.

“Estamos muito honrados com a possibilidade de levar ao público a arte, cultura e história da população quilombola do estado do Rio de Janeiro. Dando visibilidade e voz às populações historicamente silenciadas, reafirmamos o compromisso do Centro Cultural Justiça Federal com a luta pelos direitos humanos”, ressalta Dra. Simone Schreiber, desembargadora do TRF2 e diretora-geral do CCJF, em nota à imprensa.

Serviço: 

Data da abertura: 8 de junho, às 15h (sábado)
Período de visitação: de 8 de junho a 13 de julho, de terça a domingo, das 11h às 19h.
Local: Centro Cultural Justiça Federal, Avenida Rio Branco, 241 – Rio de Janeiro
Atividade extra: Mesa de abertura com lideranças quilombolas, dia 8/06, às 15h
Entrada Gratuita

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano