Pesquisar
Close this search box.

Alma Preta fará cobertura dos Jogos Olímpicos de Paris em parceria com a DiversaCom

Pela primeira vez uma equipe de jornalistas negros e de periferia vai acompanhar os jogos de perto
Imagem mostra a cidade de Paris nos preparativos para as Olímpiadas 2024.

Foto: Reprodução

24 de maio de 2024

Uma equipe de jornalistas da agência Alma Preta está nos preparativos finais para uma cobertura histórica: acompanhar de perto os Jogos Olímpicos de Paris, que começam no dia 26 de julho e se estendem até 11 de agosto. Será a primeira mídia negra independente do Brasil a fazer cobertura de uma edição de jogos olímpicos. O projeto tem parceria com a agência especializada em diversidade social DiversaCom. Um dos principais focos da cobertura será o de ir além dos resultados esportivos e mostrar o movimento na capital da França e arredores durante os jogos

Um olhar periférico para um público que vai além das periferias.  “Os jogos olímpicos vão fazer com que Paris atraia olhares de todos os cantos do planeta e nossa ideia é estar lá mostrando tudo isso de um jeito que é só nosso. O jeito da favela”, diz Elaine Silva, diretora da Alma Preta. 

Assim como os atletas, antes de viajar para Paris a equipe de jornalistas vai passar por uma fase de preparação. Um programa desenhado pela DiversaCom foi feito para dar suporte aos profissionais da agência. Entre as atividades estão previstas visitas à sede do Comitê Olímpico do Brasil e ao centro de treinamento dos atletas. 

Palestras com jornalistas que já cobriram os jogos também fazem parte do programa. O projeto engloba três fases, com ações de imersão antes do evento e iniciativas de compartilhamento do conhecimento adquirido na cobertura com estudantes e veículos periféricos de todo o país, como legado no pós Jogos. “Para viabilizar essa jornada completa, desenhamos uma plataforma de parceria para marcas, com contrapartidas em cada uma das três fases do projeto”, conta Marcelo Moreira, sócio-diretor da DiversaCom. 

Uma vez na cidade, os repórteres da Alma Preta vão buscar um olhar diferenciado, inédito em cobertura dos jogos. Muitos dos atletas que disputam os jogos são negros e nascidos em comunidades carentes de seus países. A Alma Preta vai falar desses atletas e suas histórias de vida até chegarem ao lugar que é considerado o topo da carreira de qualquer esportista.

“Tive a alegria e a responsabilidade de atuar diretamente em seis edições dos Jogos Olímpicos, como agência de comunicação do COB, do Comitê Rio 2016 e de vários patrocinadores. Construir esse projeto junto com a Alma Preta é potencializar o esporte como plataforma de inspiração e inclusão”, afirma Carina Almeida, sócia da DiversaCom e CEO da Textual.

Fora pontos das competições, as equipes vão circular pelas rua para contar histórias de quem está na cidade para assistir os jogos. Tanto os que viajaram quilômetros para estar perto, mas também os que já vivem em Paris e arredores, principalmente nos bairros mais pobres e periféricos. As equipes vão acompanhar também os que acontece no entorno dos jogos como festivais de musica, dança e cultura em geral. “Os jogos vão muito além do Esporte. Queremos mostrar um pouco de tudo isso”, aponta Pedro Borges, editor-chefe da Alma Preta e um dos jornalistas que participará da cobertura na capital francesa.

Apesar da experiência de cobrir os jogos olímpicos ser inédita, esta não é a primeira cobertura internacional da agência. Os profissionais da Alma Preta já estiverem em três edições da cúpula do clima na Escócia, Egito e Dubai. E já se preparam para estar também na próxima Copa do Mundo da Fifa, que acontecerá em 2026 nos EUA, México e Canadá.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano