Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Banco do Brasil é investigado por fomento à escravidão

A instituição financeira é alvo de um inquérito que apura sua participação na compra e venda de pessoas africanas que foram escravizadas no país no século 19
Imagem mostra placa antiga escrito Banco do Brasil

Foto: Reprodução

10 de outubro de 2023

O Ministério Publico Federal (MPF) definiu que o Banco do Brasil tem até o dia 17 de outubro para responder aos questionamentos sobre a participação ou fomento da escravidão no país. A informação consta em um inquérito sobre o envolvimento da instituição no crime praticado por mais de 300 anos.

A investigação foi proposta por um grupo de 14 historiadores de 11 universidades, responsáveis pela elaboração do texto que aborda a relação do Banco do Brasil com a economia escravista e seus negociantes.

O documento apresenta a relação entre um dos fundadores e acionistas do BB, José Bernardino de Sá, conhecido por estar entre os mais notórios traficantes de escravizados da época, além de questionar a estatal sobre o financiamento na compra e venda de escravizados.

Revelada pela BBC News Brasil, a ação é inédita no país e tem o intuito de dar inicio a um movimento de cobrança por reparação histórica de instituições, estatais e privadas, que de alguma forma tenham participado ou fomentado a escravidão.

Reparação histórica

Uma reunião marcada para 27 de outubro contará com a presença de diretores do Banco do Brasil, do grupo de historiadores que propôs a ação e membros dos ministérios de Direitos Humanos e Igualdade Racial para discutir ações de reparação histórica.

Entre essas ações está o financiamento, em um primeiro momento, de pesquisas acadêmicas sobre o assunto para que, no futuro, sejam bancados projetos de reparação e políticas públicas voltadas à comunidade negra.

Em nota, o BB informou que pretende colaborar com o MPF. “O Banco do Brasil está à disposição do Ministério Público Federal para continuar protagonizando e envolver toda a sociedade na busca pela aceleração do processo de reparação”.

  • Patricia Santos

    Jornalista, poeta, fotógrafa e vídeomaker. Moradora do Jardim São Luis, zona sul de São Paulo, apaixonada por conversas sobre territórios, arte periférica e séries investigativas.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano