Pesquisar
Close this search box.

Conheça a revolta contra violência por trás do Dia Internacional do Orgulho LGBTQIAPN+

A Revolta de Stonewall é considerada um marco por direitos, luta contra a opressão e a discriminação
O enfrentamento entre a polícia e a comunidade LGBTQIAP+ durou quatro dias e se tornou um marco histórico na luta contra a opressão e a discriminação.

Foto: Reprodução/Parada SP

28 de junho de 2024

Hoje, 28 de junho, é comemorado o Dia Internacional do Orgulho, data que marca um importante evento na luta pela igualdade e liberdade da comunidade LGBTQIAP+. Essa data é uma homenagem à Revolta de Stonewall, que ocorreu em 1969, nos Estados Unidos, e é considerada um ponto de inflexão na história do movimento LGBTQIAP+.

A Revolta de Stonewall foi uma série de protestos que começaram em 28 de junho de 1969, quando a polícia invadiu o bar Stonewall Inn, no bairro de Greenwich Village, em Nova York (EUA). A invasão foi motivada por uma lei que proibia práticas “travestis”, e os policiais prenderam pessoas trans, drag queens e drag kings presentes no local. Isso gerou uma reação violenta da comunidade LGBTQIAP+, que se sentiu agredida e discriminada.

O enfrentamento entre a polícia e a comunidade LGBTQIAP+ durou quatro dias e se tornou um marco histórico na luta contra a opressão e a discriminação. Segundo o pesquisador Facundo Saxe, em entrevista à National Geographic, “esse evento é considerado o início do movimento e um marco histórico para os movimentos de dissidência sexual”.

A Revolta de Stonewall também foi influenciada por outros movimentos contraculturais que ocorriam na época, como o Maio de 1968 na França. Esses movimentos ajudaram a criar um clima de mudança e revolução que se espalhou por todo o mundo.

Para Saxe, especialista e pesquisador do Centro Interdisciplinar de Pesquisas de Gênero da Faculdade de Humanidades da Universidade Nacional de La Plata (Unlp), a Revolta de Stonewall foi o “primeiro tijolo” que deu início a um processo de luta cultural contra a repressão e a violência. 

“O conceito de orgulho começou a ressoar com força, porque aquilo que você foi ensinado a esconder, reprimir, disciplinar, a não mostrar, apareceu publicamente”.

O Dia Internacional do Orgulho é comemorado em todo o mundo, como uma forma de celebrar a diversidade e a liberdade de expressão. É um dia para lembrar da luta histórica da comunidade LGBTQIAP+ e para continuar lutando por uma sociedade mais justa e igualitária para todos.

  • Caroline Nunes

    Jornalista, pós-graduada em Linguística, com MBA em Comunicação e Marketing. Candomblecista, membro da diretoria de ONG que protege mulheres caiçaras, escreve sobre violência de gênero, religiões de matriz africana e comportamento.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos