Pesquisar
Close this search box.

FIFA anuncia pacote de medidas para combater o racismo no futebol

Jogadores poderão denunciar atitudes racistas com gesto de mãos cruzadas; punições incluem perda de partidas
O presidente da FIFA, Gianni Infantino, fez um discurso sobre propostas antirracistas durante o 74º Congresso da FIFA em Bangkok, em 17 de maio de 2024.

Foto: Manan Vatsyayana/AFP

17 de maio de 2024

Nesta sexta-feira (17), a Federação Internacional de Futebol (FIFA) anunciou uma série de novas medidas para combater a discriminação no esporte, incluindo um gesto simbólico com as mãos cruzadas que jogadores poderão usar para denunciar atitudes racistas ao árbitro durante as partidas.

A decisão foi divulgada durante o congresso anual dos 211 membros da FIFA em Bangkok, na Tailândia, onde a entidade máxima do futebol mundial declarou que o racismo será tipificado como um crime específico no código de disciplina do esporte. As punições para atos racistas serão “severas” e podem incluir o encerramento da partida como uma das punições, com derrota ao time responsável pelo ato racista.

A iniciativa surge após vários meses de consultas com jogadores que foram vítimas de abusos racistas por parte de adversários ou torcedores. Entre as vozes mais influentes nesse debate está o craque brasileiro do Real Madrid, Vinícius Júnior. Frequentemente alvo de insultos racistas nos estádios espanhóis, Vini Jr. recentemente se emocionou, durante uma entrevista coletiva, ao relembrar sua luta contra a discriminação. Em resposta, um amistoso simbólico entre Espanha e Brasil foi organizado no final de março para chamar a atenção para o problema.

Além do gesto de mãos cruzadas, a federação internacional apresentou um pacote de medidas rígidas para a punição de atos discriminatórios. A entidade exigirá que todas as 211 associações filiadas incluam em seus códigos disciplinares sanções específicas para o preconceito racial, que podem chegar à derrota do time associado ao ato, seja ele cometido por um jogador ou torcedor.


No Brasil, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já havia implementado desde 2023 punições para atos de racismo em suas competições. As penalidades variam desde multas até a perda de pontos para as equipes envolvidas em casos de discriminação racial.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

EP 153

EP 152

Cotidiano