Olimpíadas 2024

Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Pernambuco lança selo independente para valorizar cultura popular do Nordeste

Intitulada Matinada Records, a gravadora deve contribuir para profissionalizar setor artístico e gerar oportunidades de emprego
Imagem mostra o Mestre Biloco, ícone da Ciranda Praieira.

Foto: Divulgação

24 de junho de 2024

Um grupo de artistas e instituições culturais anunciaram o lançamento do selo e gravadora independente “Matinada Records – o som de Pernambuco”. A proposta faz parte de uma iniciativa pioneira no Nordeste, que visa fomentar a produção e distribuição de obras que refletem a herança cultural da região canavieira.

O nome é uma homenagem ao vibrante som dos chocalhos dos caboclos de maracatu de baque solto, símbolo do carnaval pernambucano e Patrimônio Cultural do Brasil. As produções serão apresentadas de forma gratuita em áudio e vídeo nas principais plataformas de streaming e no canal do YouTube do projeto. 

O projeto foi idealizado por organizações que promovem as tradições de cultura popular nas Regiões de Desenvolvimento da Mata Norte e Mata Sul, interior do estado, consideradas berços das tradições da cultura popular.

A proposta prevê a gravação, produção e distribuição de álbuns, EPS e singles, além de apoio em estratégias de marketing e divulgação. O intuito é contribuir para profissionalizar ainda mais o setor e gerar oportunidades de emprego e renda. 

“A criação deste selo e gravadora independente é um passo fundamental para dar visibilidade e valorização de nossos artistas e nossas tradições. Além de garantir a preservação dessas manifestações, que tem suas origens na cultura oral, proporcionando uma plataforma para eles poderem alçar novos públicos e mercados”, afirmou o produtor cultural e coordenador do projeto, Cleiton Santiago, em nota à imprensa.

Artistas como Mestre Biloco, de Goiana, ícone da Ciranda Praieira, reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como um dos últimos remanescentes da tradição em preservar o som do apito está na lista entre os primeiros a gravar sob o novo selo. 

“É uma oportunidade única poder, em tantos anos de minha vida dedicado à cultura popular, poder levar nossa música além das fronteiras dos canaviais da nossa região. Será uma oportunidade única mostrar ao mundo a beleza e força da nossa cultura”, disse o músico. 

Integrante do grupo Coco do Mereré, o músico Tony Artes festejou a oportunidade de ter o primeiro trabalho registrado no formato audiovisual. “Este é o maior reconhecimento que está sendo feito em prol de nós, artistas, da cultura popular. Há muitos anos sonhava em gravar nosso trabalho musical. Agora, é só alegria. O sonho vai virar realidade”, enfatizou.

Além de impulsionar a carreira dos artistas da Zona da Mata, a expectativa é que o novo selo e a gravadora atraiam investimentos e parcerias, estimulando a cadeira produzida da música e poesia popular.

“Este é um projeto que vai além do mercado fonográfico. É a oportunidade de artistas, sociedade, poder público, parceiros e iniciativa privada somarem esforços para fazermos, juntos, um movimento em torno da música como aliada no desenvolvimento da cadeia da economia criativa”, explicou, em nota, o produtor fonográfico do projeto, Alexandre Veloso.

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano