Olimpíadas 2024

Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Procurador-geral do RJ apresenta ao STF ações para reduzir letalidade policial

Medidas incluem plantão de atendimento 24 horas e monitoramento de operações policiais
Forças Armadas e policiais fazem operações na comunidade da Gardênia Azul, região de Jacarepaguá, na zona oeste do Rio de Janeiro. O Procurador-geral da Justiça do Rio apresentou nesta terça-feira (2) medidas para reduzir letalidade policial no Rio de Janeiro.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

3 de julho de 2024

O procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Luciano Mattos, apresentou nesta terça-feira (2) ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, as ações que o Ministério Público (MP) vem adotando para reduzir a letalidade policial no estado. Fachin destacou que o encontro marcou o fim da fase de instrução da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 635, que será levada a julgamento neste segundo semestre. A ADPF 635 impõe ao estado do Rio de Janeiro uma série de medidas para diminuir a violência policial.

Entre as ações apresentadas por Mattos estão a criação do Grupo Temático Temporário, destinado a acompanhar as determinações da ADPF 635, e a implementação de um plantão de atendimento 24 horas para receber denúncias de violência e abusos de autoridade durante operações policiais.

Mattos também apresentou estudos desenvolvidos pela Gerência de Análises, Diagnósticos e Geoprocessamento (GADG), incluindo o Monitoramento de Operações Policiais, que acompanha a evolução das operações e seus resultados desde a vigência da ADPF. Outros destaques foram o painel Gestão de Território, que oferece informações georreferenciadas sobre crime e segurança pública, e o protocolo de atuação das polícias para aumentar a segurança no entorno das escolas públicas.

Segundo nota do MP-RJ, o sociólogo Ramon Chaves Gomes, servidor da GADG, expôs os resultados da Análise de Dados sobre Associação entre Operação Policial e Letalidade, que apontaram que não há relação entre o aumento das operações e a redução da letalidade nas comunidades alvos.

À tarde, Luciano Mattos e Edson Fachin visitaram o Centro Integrado de Comando e Controle da Polícia Militar. Durante a visita, foram discutidos temas como o uso de câmeras corporais e outras ferramentas mencionadas na ADPF 635. O ministro também conheceu o Gabinete de Gestão de Crise e teve acesso ao painel de chamadas do 190 e às câmeras de monitoramento da cidade do Rio de Janeiro.

  • Giovanne Ramos

    Jornalista multimídia formado pela UNESP. Atua com gestão e produção de conteúdos para redes sociais. Enxerga na comunicação um papel emancipatório quando exercida com responsabilidade, criticidade, paixão e representatividade.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano