Pesquisar
Close this search box.

Curitiba inaugura primeiro centro de cidadania para população LGBTQIAPN+

Iniciativa fica dentro da Universidade Federal do Paraná e visa proporcionar emancipação individual e coletiva
imagem mostra bancada de participantes do lançamento do centro de cidadania.

Foto: Mandato Carol Dartora

9 de julho de 2024

O primeiro Centro de Cidadania LGBTQIAPN+ de Curitiba foi lançado no início de julho na Universidade Federal do Paraná (UFPR). O espaço será dedicado ao oferecimento de apoio jurídico, psicológico e de serviço social, além de serviços de saúde, educação, prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) e capacitação profissional para essa população.

O objetivo é proporcionar emancipação individual e coletiva, ajudando as pessoas atendidas a desenvolverem maior autoestima e autoconfiança, reconhecendo seu valor e direitos enquanto indivíduos e como grupo.

“Hoje, estamos comemorando muito a efetivação dessa política pública, que começamos a construir aqui em Curitiba há muito tempo. O movimento LGBTQIA+ tem pautado a necessidade de um centro de referência. Existe uma aliança, um vínculo muito forte com a população LGBTQIA+, pessoas que se identificam comigo e votaram para que eu ocupasse o espaço que ocupo hoje”, afirmou a deputada federal Carol Dartora (PT-PR).

O centro de cidadania também visa conscientizar os participantes sobre seus direitos humanos básicos e fornecer habilidades de advocacy, capacitando-os a serem agentes de campanhas de sensibilização e promovendo o diálogo coletivo com governos e outras instituições.

“Comecei essa construção junto com o movimento LGBTQIA+ e várias organizações aqui em Curitiba. No meu primeiro mandato de vereadora, uma das primeiras audiências públicas que propus na Câmara foi para pensar esse centro de referência e a comunidade LGBTQIA+ como um todo. Agora, vemos esse trabalho se concretizar com a possibilidade de destinar recursos públicos para essa construção. É um momento de realização, alegria, comemoração e sentimento de trabalho bem-feito”, lembrou a parlamentar.

O projeto foi viabilizado em parceria com diversos órgãos, incluindo o Conselho Nacional e Municipal LGBTQIA+, a Secretaria Nacional dos Direitos das Pessoas LGBTQIA+ e a Universidade Federal do Paraná.

Segundo Carol Dartora, é um desafio consolidar todas as políticas públicas para essa comunidade, incluindo políticas de saúde, educação e inclusão em todas as áreas. “Por isso, comemoramos, pois o centro tem o objetivo de alcançar a comunidade LGBTQIA+, que ainda é extremamente vulnerabilizada”, completou Dartora.

  • Redação

    A Alma Preta é uma agência de notícias e comunicação especializada na temática étnico-racial no Brasil.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano