Pesquisar
Close this search box.

Projeto que impulsiona trabalhos de produtores audiovisuais negros abre inscrições

Direcionada à tríade criativa de direção, roteiro e produção, a iniciativa oferece bolsa de desenvolvimento no valor de R$ 3 mil na primeira etapa e de R$ 20 mil na segunda
Imagem mostra grupo de pessoas posando para foto.

Foto: Divulgação

6 de julho de 2024

A Associação de Profissionais do Audiovisual Negro (APAN) está com inscrições abertas até 19 de julho para a 6ª edição nacional do Lab Negras Narrativas (LNN) 2024, laboratório que oferece um espaço de encontro e aprimoramento de narrativas afro-referenciadas para fortalecer e internacionalizar as carreiras de realizadores negros de todo o Brasil.

Direcionado à tríade criativa de direção, roteiro e produção, o LNN conta com o patrocínio do Amazon MGM Studios e do Prime Video. A edição é destinada a profissionais negros em diferentes estágios de carreira, que estejam desenvolvendo projetos audiovisuais de ficção, nos formatos de curta ou longa-metragem. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas a partir do preenchimento de um formulário disponível no site da APAN.

A seleção irá considerar a originalidade artística e a relevância da narrativa, a trajetória da equipe proponente e a viabilidade de execução da proposta. A Comissão de Seleção é composta por profissionais negros das áreas de roteiro, direção e produção executiva, além de representantes da associação.

Para a coordenação do Lab Negras Narrativas, composta por Melina Bomfim, Talita Arruda, Maíra Oliveira e Udinaldo Júnior, a iniciativa emerge de uma construção coletiva e promove um ambiente rico, orgânico e afetuoso para abraçar as imagens, sonhos e equipes dos cinemas negros.  O projeto é a possibilidade de um espaço seguro onde as histórias podem ampliar as formas de existência no mundo.

Como será o Lab Negras Narrativas?

A 6ª edição do LNN contará com três etapas. A primeira será online e com encontros voltados para a reflexão sobre o pensamento negro nas artes. Será também o momento de realizar oficinas e consultorias focadas nos roteiros dos projetos. Nesta fase, cada um dos 16 projetos receberá uma bolsa de desenvolvimento no valor de R$ 3 mil em reconhecimento pelo tempo de dedicação, participação na formação e realização das atividades propostas.

Já na segunda etapa, oito projetos seguirão no Lab. Esta fase será híbrida, oferecendo aos participantes uma residência artística imersiva presencial. Na ocasião, as equipes serão assistidas por tutores de direção e produção ao longo de uma semana. Também será intensificada a oferta de aulas de espanhol, acolhimento psicológico e outras terapias integrativas. Os oito projetos receberão R$ 20 mil cada um, como recurso para investimento no desenvolvimento das propostas.

A etapa final premiará três projetos com uma formação presencial, visando a internacionalização das carreiras das equipes participantes. Essa vivência será realizada em um país da América Latina e será totalmente custeada pelo LNN.

Na última edição do Lab Negras Narrativas, 194 projetos foram inscritos, de 21 estados das cinco regiões do país. “Neste ano optamos por uma submissão mais objetiva e simplificada, que certamente contribuirá para uma adesão superior aos quase 200 projetos inscritos no último ano”, diz  Maíra Oliveira, coordenadora Pedagógica do LNN.

“Em paralelo, desejamos ampliar as participações nas regiões norte e centro-oeste, em parcerias e ações como Lab Negras Narrativas Amazônicas que aconteceu em 2023 e o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), que aconteceu em junho em Goiás, com o objetivo de promover sensibilização, por meio de oficinas e a exibição de filmes participantes em edições anteriores do Lab”, complementa Melina Bomfim, coordenadora Geral. 

Ainda sobre a vivência internacional da terceira etapa, Tatiana Carvalho Costa comenta que “parte da estratégia da APAN diz respeito à Internacionalização do Audiovisual Negro, pensando em nosso pertencimento afro-latinoamericano. Nesse sentido, já desenvolvemos a Escola bi-nacional FOCO para a formação de lideranças para o audiovisual negro no continente, em parceria com a Manos Visibles, na Colômbia. Teremos pelo menos um projeto daquele país participando e pretendemos intensificar esse intercâmbio latino-americano com a etapa internacional do LNN”.

  • Redação

    A Alma Preta é uma agência de notícias e comunicação especializada na temática étnico-racial no Brasil.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano

Na ONU, Brasil reafirma compromisso com a pauta racial no combate à violência

Mais de 80% dos modelos de campanhas publicitárias brasileiras são brancos, aponta estudo

O Quilombo

Aprovação do Dia Nacional do Funk é marco contra marginalização

Independência, liberdade e escravidão na Argentina

Clima e Meio Ambiente

Programa capacita lideranças das periferias do Rio para debates sobre questão climática

Território brasileiro pegou fogo em um a cada quatro hectares nos últimos 40 anos