Olimpíadas 2024

Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Exposição fotográfica no Rio de Janeiro enaltece legado de Marielle Franco

As fotos estarão expostas gratuitamente ao público até 30 de novembro
Em pé, a vereadora Mônica Benicio admira uma fotografia de Marielle Franco.

Foto: Acervo Marielle Franco

7 de novembro de 2023

A história pessoal e política de Marielle Franco, vereadora do PSOL assassinada em 2018, é tema de uma exposição fotográfica lançada nesta segunda-feira (6) na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Essa é a primeira exposição do Acervo Marielle e fica no local até o dia 30 de novembro. As fotos estarão expostas gratuitamente ao público das 10h às 18h, de segunda a sexta-feira.

Com o objetivo da mostra é manter vivo o legado a vereadora e ativista, a iniciativa é uma parceria entre o Instituto Marielle Franco, organização sem fins lucrativos que desenvolve ações para potencializar mulheres negras, pessoas LGBTQIA+ e periféricas, e o gabinete da vereadora Monica Benicio.

Em 2020, Monica, que é viúva de Marielle, foi eleita para o mesmo cargo que sua companheira ocupava. Atualmente, ela desempenha a função de líder da bancada do PSOL na Câmara Municipal.

A mostra foi montada no Palácio Pedro Ernesto, onde a vereadora Marielle exerceu seu primeiro mandato antes de ser assassinada em 2018 junto com o motorista Anderson Gomes. Na época, a conquista marcou a sua carreira após ter sido a quinta vereadora mais votada do Rio de Janeiro nas eleições de 2016.

Entre as fotografias expostas, estão imagens capturadas durante a pré-campanha da vereadora, bem como registros de seu trabalho na Câmara Municipal. Além disso, há fotos do ato realizado na Cinelândia logo após a sua morte, assim como da tribuna que passou a ser chamada de “Tribuna Marielle Franco”, denominação estabelecida pela iniciativa da bancada feminina para o local de onde são feitos os discursos nas sessões plenárias.

Embora já esteja acessível ao público, a exposição será inaugurada oficialmente em 17 de novembro, quando também acontece a entrega do Prêmio de Cria pra Cria, que busca desconstruir a imagem de que a periferia é um território estigmatizado pela violência e ressignificá-lo a partir de uma perspectiva artística. No evento, mais de 40 artistas, coletivos e mobilizadores culturais também serão homenageados.

  • Mariane Barbosa

    Curiosa por vocação, é movida pela paixão por música, fotografia e diferentes culturas. Já trabalhou com esporte, tecnologia e América Latina, tema em que descobriu o poder da comunicação como ferramenta de defesa dos direitos humanos, princípio que leva em seu jornalismo antirracista e LGBTQIA+.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano