Olimpíadas 2024

Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Fórum Internacional Modativismo propõe aquilombamento em Salvador

O evento acontece entre os dias 20 e 23 de novembro e é resultado da primeira disciplina sobre Moda e Ativismo no Brasil
Duas mulheres negras sentadas. Elas vestem roupas e usam turbantes com estampas afro em alusão ao modativismo.

Foto: Taciana Pereira

16 de novembro de 2023

Com a intenção de ampliar o protagonismo de mulheres negras no universo da moda, a primeira edição do Fórum Internacional Modativismo acontece entre os dias 20 e 23 de novembro em Salvador, na Bahia.

Com a presença de artistas, lideranças do movimento social organizado, pessoas pesquisadoras e outras personalidades, o evento tem como sede o Teatro do Goethe Institut Salvador e o auditório da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

Idealizado pela artista baiana Carol Barreto, criadora do projeto e do conceito modativismo e docente do departamento de Estudos de Gênero e Feminismo da UFBA , o evento é resultado da primeira disciplina sobre Moda e Ativismo no Brasil, intitulada “Modativismo: Processos Criativos Decoloniais”.

De acordo com a organização, o fórum ultrapassa as barreiras das pesquisas acadêmicas no território universitário e propõe uma atividade extensionista de maneira a alicerçar as relações e interlocuções com a comunidade soteropolitana em geral.

“A criação do projeto Modativismo é uma atividade que nasce do reconhecimento da nossa ancestralidade como lastro para as práticas artísticas, mas acima de tudo é uma oferenda à todas as mulheres negras que conduziram por meio de suas/nossas práticas de resistência esse campo de intelectualidade, por isso construímos mesas basicamente compostas por mulheres negras”, reforça Carol Barreto.

O Fórum Internacional Modativismo tem foco em discussões sobre a relação de pessoas artistas com os territórios de origem, trazendo como referência processos de aquilombamento e reencontros com a ancestralidade negra e as religiosidades de matriz africana – expressados pela intelectualidade manual e mental presentes na produção do têxtil de mulheres negras.

O evento é uma iniciativa do Coletivo Modativismo, por meio da Ação Curricular em Comunidade e em Sociedade (ACCS)/UFBA intitulada Modativismo, tendo também a parceria com o Coletivo de Entidades Negras (CEN) e a Associação de Mulheres Quilombolas e Rendeiras de Ilha de Maré (ABECQIM) para aprofundar os debates sobre Gênero, Corporalidades, Aparência, Hierarquias Raciais, Racismo Ambiental e Interseccionalidades.

Tem o apoio também do Departamento de Estudos de Gênero e Feminismos (DGEF) da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH)/UFBA, do Grupo Gênero Arte e Cultura (GAC) do Núcleo de Estudos Interdisciplinares sobre a Mulher (NEIM)/FFCH/UFBA, do Programa de Apoio a Jovens Professores(as)/Pesquisadores(as) Doutores(as) (Programa JOVEMPESQ) da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG)/UFBA, da Faculdade de Comunicação (FACOM)/UFBA, do Goethe Institut Salvador e da Fundação Gregório de Matos (Edital Arte Todo Dia, 2023).

Para se inscrever e conferir mais informações, acesse o site.

  • Redação

    A Alma Preta é uma agência de notícias e comunicação especializada na temática étnico-racial no Brasil.

Leia Mais

Quer receber nossa newsletter?

Destaques

AudioVisual

Podcast

papo-preto-logo

Cotidiano